Mercado fechará em 4 h 12 min
  • BOVESPA

    109.172,27
    +195,57 (+0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,65
    -1,63 (-2,14%)
     
  • OURO

    1.749,40
    -4,60 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    16.265,51
    -284,86 (-1,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    381,31
    +1,02 (+0,27%)
     
  • S&P500

    4.005,50
    -20,62 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    34.213,22
    -133,81 (-0,39%)
     
  • FTSE

    7.467,94
    -18,73 (-0,25%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.162,83
    -120,20 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.759,25
    -23,50 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6100
    -0,0144 (-0,26%)
     

Crescimento global do emprego vai "se deteriorar significativamente" neste trimestre, diz OIT

Anúncio de vaga de trabalho em Somerville, EUA

Por Emma Farge

GENEBRA (Reuters) - O crescimento global do emprego "se deteriorará significativamente" neste trimestre, afetado pela turbulência econômica causada pela guerra na Ucrânia e pelo impacto da política monetária mais restritiva sobre o consumo, disse a Organização Internacional do Trabalho (OIT) nesta segunda-feira.

Já há sinais de que uma recuperação nas horas trabalhadas globais, vista no início de 2022, foi revertida no segundo e terceiro trimestres, disse o órgão da Organização das Nações Unidas.

No geral, havia 40 milhões de empregos em período integral a menos entre julho e setembro do que no quarto trimestre de 2019, que é usado como nível de referência antes da pandemia da Covid-19, acrescentou a entidade.

“Nas tendências atuais, o crescimento global do emprego se deteriorará significativamente no quarto trimestre de 2022”, disse a OIT em relatório.

A OIT atribuiu a deterioração do nível de horas trabalhadas em meados de 2022 à reintrodução de restrições de saúde pública e consequentes disrupções no mercado de trabalho na China, bem como ao conflito na Ucrânia e às pressões inflacionárias resultantes de interrupções nas exportações de energia e alimentos.

O relatório também disse que o aperto excessivo das políticas monetárias pode causar "danos indevidos a empregos e renda em países avançados e em desenvolvimento".

A OIT alertou para o declínio das vagas de emprego à frente e o aumento do desemprego nos últimos meses do ano. Já há sinais de que o mercado de trabalho esfriou consideravelmente nas economias avançadas, com quedas acentuadas no crescimento de vagas, disse.

(Reportagem de Emma Farge)