Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.423,24
    -26,44 (-0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Crescimento empresarial da zona do euro permanece robusto em maio, mas perspectiva piora, mostra PMI

Restaurante em Nice, França

LONDRES (Reuters) - O crescimento empresarial da zona do euro foi robusto em maio, mas corre o risco de uma desaceleração devido ao aumento do custo de vida, interrupções na cadeia de fornecimento e incerteza em torno da invasão russa da Ucrânia, mostrou uma pesquisa.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) Composto final da S&P Global caiu para 54,8 em maio em relação a 55,8 de abril, e preliminar de 54,9. Qualquer coisa acima de 50 indica crescimento.

"A forte demanda por serviços ajudou a sustentar um ritmo robusto de crescimento econômico em maio, sugerindo que a zona do euro está expandindo a uma taxa equivalente a crescimento do PIB de pouco mais de 0,5%", disse Chris Williamson, economista-chefe da S&P Global.

"Entretanto, os riscos parecem estar inclinados para o lado negativo nos próximos meses. O setor industrial permanece preocupantemente limitado pela escassez da oferta, e tanto as empresas quanto as famílias continuam a ser prejudicados pela alta dos custos."

Um PMI do setor de serviços do bloco caiu de 57,7 para 56,1 no mês passado, abaixo da preliminar de 56,3.

O setor recebeu um impulso nos últimos meses já que a maioria das restrições relacionadas à pandemia foram levantadas e os consumidores voltaram a um modo de vida mais normal e gostaram de sair de novo.

Mas o PMI sugere que essa demanda está começando a diminuir e o índice de novos negócios de serviços caiu de 56,6 para 55,0.

"Há também sinais de que o impulso para a economia da demanda reprimida por serviços à medida que as restrições da pandemia são relaxadas está começando a enfraquecer", disse Williamson.

(Reportagem de Jonathan Cable)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos