Mercado abrirá em 2 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    106.373,87
    -553,92 (-0,52%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.973,27
    +228,35 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,13
    +1,31 (+1,56%)
     
  • OURO

    1.809,90
    -6,60 (-0,36%)
     
  • BTC-USD

    41.894,13
    -977,95 (-2,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.002,60
    -23,13 (-2,25%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.535,79
    -75,44 (-0,99%)
     
  • HANG SENG

    24.112,78
    -105,25 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    28.257,25
    -76,27 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    15.314,25
    -281,50 (-1,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2938
    0,0000 (0,00%)
     

Crescimento econômico dos EUA no 3º tri é revisado ligeiramente para cima

·2 min de leitura
Porto de Los Angeles, EUA

WASHINGTON (Reuters) - O crescimento econômico dos Estados Unidos desacelerou drasticamente no terceiro trimestre em meio a um surto de infecções por Covid-19, confirmou o governo norte-americano nesta quarta-feira, mas desde então a atividade acelerou, colocando a economia em curso de registrar seu melhor desempenho desde 1984 neste ano.

O Produto Interno Bruto cresceu a uma taxa anualizada de 2,3%, informou o Departamento do Comércio dos EUA em sua terceira leitura do crescimento do PIB para os meses de julho a setembro.

A leitura ficou acima do ritmo de 2,1% estimado no mês passado, mas ainda é o mais lento desde o segundo trimestre de 2020, quando a economia sofreu uma contração histórica na esteira de duras medidas restritivas para conter a primeira onda de casos de coronavírus.

Economistas consultados pela Reuters previam que o PIB cresceria a um ritmo de 2,1% no terceiro trimestre, sem revisão. A economia cresceu a uma taxa de 6,7% no segundo trimestre.

O ritmo de crescimento mais lento do trimestre passado também refletiu a escassez de veículos em meio à tensão nas cadeias de suprimentos globais, assim como um declínio no dinheiro fornecido pelo governo norte-americano a empresas, famílias e governos estaduais e locais para alívio da pandemia.

O crescimento também foi prejudicado pelo furacão Ida, que devastou a produção de energia na costa dos EUA no final de agosto.

No entanto, a economia recuperou velocidade. Os gastos do consumidor aumentaram de forma sólida em outubro e o setor de manufatura está aquecido. O déficit comercial diminuiu drasticamente em outubro, com exportações em patamar recorde e empresas recompondo constantemente seus estoques. A taxa de desemprego está em 4,2%, uma mínima em 21 meses.

De acordo com pesquisa da Reuters com economistas, o crescimento dos EUA neste ano pode chegar a 5,6%, o que seria o ritmo mais rápido desde 1984. Em 2020, a economia contraiu 3,4%.

Mas a onda de infecções por coronavírus no inverno norte-americano, impulsionada pela variante Delta e pela altamente contagiosa Ômicron, pode limitar o crescimento significativamente a partir do primeiro trimestre.

As perspectivas de crescimento também foram afetadas pela declaração do senador democrata Joe Manchin, no domingo, de que não apoiará o pacote de investimento doméstico de 1,75 trilhão de dólares do presidente norte-americano, Joe Biden.

(Por Lucia Mutikani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos