Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.543,99
    -1.524,55 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.092,72
    +366,76 (+0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,84
    -0,17 (-0,24%)
     
  • OURO

    1.801,80
    +3,80 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.224,36
    +425,35 (+2,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    406,16
    +11,47 (+2,91%)
     
  • S&P500

    3.950,81
    +16,89 (+0,43%)
     
  • DOW JONES

    33.694,55
    +96,63 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.472,17
    -17,02 (-0,23%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.651,75
    +142,25 (+1,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5058
    +0,0394 (+0,72%)
     

Crescimento econômico dos EUA é revisado para cima

Consumidores se reúnem na área externa de restaurante, em Ann Arbor, Michigan

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - A recuperação da economia dos Estados Unidos da pandemia de Covid-19 foi muito mais forte do que se pensava inicialmente diante do enorme estímulo fiscal, de acordo com revisões divulgadas nesta quinta-feira, que também mostraram que a diferença entre duas medidas de crescimento diminuiu acentuadamente em 2021

O Produto Interno Bruto (PIB) aumentou 5,9% em 2021, disse o Departamento de Comércio em sua revisão anual dos dados do PIB. O número foi revisado para cima em relação ao crescimento de 5,7% relatado anteriormente.

A economia contraiu 2,8% em 2020, em dado revisado para cima de uma queda de 3,4% publicada anteriormente.

"A recessão pandêmica do quarto trimestre de 2019 até o segundo trimestre de 2020 foi um pouco menos acentuada do que o que está publicado atualmente", disse Erich Strassner, diretor associado de Contas Econômicas Nacionais do Escritório de Análise Econômica (BEA, na sigla em inglês) do Departamento de Comércio. "A recuperação a partir do segundo trimestre de 2020 foi um pouco mais forte."

As revisões para cima do PIB em ambos os anos refletiram em grande parte mais gastos do consumidor, exportações e gastos do governo federal do que o informado anteriormente.

Os gastos foram impulsionados por subsídios do governo a famílias e empresas como parte de um alívio de quase 6 trilhões de dólares desde o início da pandemia, em 2020.

O PIB, a medida padrão de crescimento econômico, é o valor dos bens e serviços produzidos nos Estados Unidos. A atividade econômica no país também é avaliada a partir dos rendimentos obtidos e dos custos incorridos na produção do PIB, expressos pela Renda Interna Bruta (GDI, na sigla em inglês).

As revisões mostraram a Renda Interna Bruta se recuperando em 5,5% em 2021, revisão para baixo dos 7,3% publicados anteriormente. Esse indicador recuou 2,3% em 2020, em vez de 2,9%, como inicialmente estimado. A revisão para baixo em 2021 refletiu revisões em vários componentes, incluindo receita líquida de juros, salários da indústria privada, renda dos proprietários e lucros corporativos.

A diferença entre a Renda Interna Bruta e o PIB, também conhecida como discrepância estatística, é a soma dos erros de medição na estimativa dos respectivos componentes do PIB e da Renda. A discrepância estatística havia aumentado acentuadamente antes desta revisão, atraindo a atenção de autoridades do Federal Reserve e economistas.

(Reportagem de Lucia Mutikani)