Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.775,77
    -1.787,83 (-4,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Crescimento da atividade econômica colocará pressão sobre risco hidrológico, reconhece Guedes

·2 minuto de leitura
Ministro da Economia, Paulo Guedes. 16/03/2020. REUTERS/Adriano Machado.

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, reconheceu nesta terça-feira, após o avanço do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre do ano, que o crescimento da atividade econômica naturalmente colocará pressão sobre o risco hidrológico que o país vivencia.

"Isso é uma dimensão de (Ministério de) Minas e Energia, eles estão atentos a isso, estão tomando as providências que acham cabíveis. Agora, nós vamos crescer, e isso, naturalmente, vai botar alguma pressão", afirmou Guedes quando questionado sobre uma eventual crise hídrica no país.

De acordo com ele, a atual conjuntura mostra que o país precisa privatizar a Eletrobras.

"O setor elétrico brasileiro está em um imbróglio que foi criado em governos passados. E agora temos também o problema do regime de chuvas, não controlamos isso, é uma variável completamente inesperada."

Autoridades do governo reuniram-se, na tarde desta terça-feira, para discutir uma eventual crise hídrica que tem pressionado o sistema de geração de energia do país. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) criou um "gabinete de situação" para monitorar as condições de suprimento.

Na semana passada, o governo emitiu alerta de emergência hídrica para o período de junho a setembro em cinco Estados, que se seguiu ainda ao registro das piores chuvas em 91 anos entre setembro e maio, informou o Ministério da Agricultura.

ATIVIDADE ECONÔMICA

Na manhã desta terça, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB brasileiro cresceu 1,2% no primeiro trimestre frente aos três meses imediatamente anteriores e retomou o patamar pré-pandemia, embora o ritmo de alta tenha perdido força.

"Eu não gosto de parecer otimista, sou sempre muito realista, e quando digo que Brasil está surpreendendo, é porque o grande desafio de transformar uma recuperação cíclica, baseada em consumo, em uma retomada do crescimento sustentável baseada em investimentos, o Brasil parece que vai enfrentar esse desafio, e vai vencer esse desafio", disse Guedes.

Em sua fala, elencou a vacinação em massa, a manutenção da agenda estrutural de reformas do governo e a trajetória da dívida pública como proporção do PIB como fatores que justificam o êxito da atividade econômica no primeiro trimestre deste ano.

(Por Gabriel Ponte)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos