Cresce risco do debate fiscal sobre economia dos EUA

Enquanto os parlamentares dos Estados Unidos não chegam a um acordo sobre como reduzir o déficit orçamentário do país, cresce entre analistas e investidores a sensação de que, mesmo que sejam evitados os mais de US$ 500 bilhões em aumentos de impostos e cortes de gastos previstos para entrar em vigor a partir de terça-feira (01/01/2013), os riscos para a economia norte-americana ficaram muito grandes.

A confiança dos consumidores e os preços das ações caíram recentemente e deverão continuar nessa tendência. Pessoas físicas e investidores poderão recuar ainda mais se não houver nenhum acordo ou se for fechado um que preveja várias medidas que limitem o crescimento econômico em 2013.

As negociações atuais se assemelham à briga pelo aumento do teto da dívida dos EUA ocorrida em 2011, que mostrou como um acordo de última hora pode provocar problemas sérios. Naquela ocasião, apesar de um acordo, a economia e os mercados financeiros cambalearam enquanto o mundo fora de Washington se concentrou nas implicações do processo turbulento. O rating triplo A dos EUA foi rebaixado na época.

Hoje a economia norte-americana pode sofrer um impacto mais direto da combinação de aumentos de impostos e cortes de gastos e, embora economistas digam que uma recessão pode surgir se os parlamentares não alcançarem um acordo, uma solução de última hora deverá deixar questões não resolvidas que também poderão afetar a economia, pressionando os lucros das empresas e o mercado de ações.

A amplitude da briga atual também aponta para a possibilidade de uma nova experiência prejudicial quando o governo dos EUA se voltar para a questão do teto da dívida, que é de US$ 16,4 trilhões e será atingido hoje - mas o Departamento do Tesouro tem meios emergenciais de obter mais pelo menos dois meses de respiro. "O ponto em que o mercado entra em pânico pode na verdade ser mais perto do prazo final para o teto da dívida", comentou Gordon Fowler, executivo-chefe da Glenmede Trust.

Russ Koesterich, estrategista de investimentos do BlackRock, afirmou que Wall Street está esperando soluções confusas tanto para o abismo fiscal quanto para o teto da dívida. Koesterich prevê que os compromissos vão resultar em aumentos de impostos e cortes de gastos que limitarão o crescimento da economia norte-americana a cerca de 2,0% em 2013. As informações são da Dow Jones.

Carregando...