Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.041,13
    +1.115,53 (+1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,21
    -1,01 (-1,24%)
     
  • OURO

    1.811,60
    -3,60 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    17.019,87
    +85,27 (+0,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.983,00
    -79,75 (-0,66%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4978
    +0,0324 (+0,59%)
     

Credit Suisse oferta 889 mi de ações a atuais investidores em aumento de capital de US$4 bi

.

ZURIQUE (Reuters) - O Credit Suisse disponibilizou 889 milhões de novas ações a atuais investidores a 2,52 francos suíços (2,67 dólares) cada, informou o banco nesta quinta-feira, confirmando os termos finais do aumento de capital de 4 bilhões de francos da instituição.

A operação, que foi aprovada por investidores na quarta-feira, tem como objetivo financiar o plano de reestruturação do banco, uma tentativa de recuperação frente a maior crise vivida pelo Credit Suisse em seus 166 anos de história.

A emissão de ações deve levantar cerca de 2,24 bilhões de francos suíços, informou o banco.

O segundo maior banco da Suíça também confirmou a emissão de 462 milhões de novas ações a investidores qualificados. O Banco Nacional Saudita foi o maior investidor na operação, depois de comprar 307 milhões de novas ações que deram à instituição do Oriente Médio 9,9% do Credit Suisse.

O plano de reestruturação envolve a mudança de foco do Credit Suisse da área de banco de investimento para gestão de fortunas.

As ações do Credit Suisse, que acumulam queda de 59% até agora neste ano, fecharam em baixa de 1,9%, a 3,55 francos cada nesta quinta-feira.

Mais cedo nesta semana, o Credit Suisse alertou que deve sofrer um prejuízo antes de impostos de até 1,5 bilhão de francos no quarto trimestre fiscal, em meio a um fluxo bilionário de retirada de recursos de clientes do banco.

(Por Noele Illien)