Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.037,02
    -11,27 (-0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Credit Suisse aposta em alta de 12% para S&P 500 em 2021

Divya Balji
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O índice S&P 500 pode subir outros 12% até o fim de 2021 com a volta à normalidade após a pandemia de Covid-19, de acordo com estrategistas do Credit Suisse.

Eles preveem que o índice de referência pode atingir o nível de 4.050 pontos até o final do próximo ano.

“Nossas previsões para 2021 são elaboradas para responder a uma pergunta simples: como o futuro (2022) será no futuro (final de 2021)”, disseram analistas liderados por Jonathan Golub em relatório publicado na quarta-feira. “Somos obrigados a diminuir a ênfase no curto prazo, focando no retorno para um mundo mais normal.”

O Credit Suisse tem posição overweight no setor de tecnologia, finanças e ações de saúde, ao mesmo tempo que se mantém neutro em segmentos cíclicos. O banco tem posição underweight em não cíclicos.

O índice S&P 500 subiu 12% no acumulado do ano até o fechamento da terça-feira, depois que o choque da pandemia de Covid-19 fez com que as ações despencassem em março. Investidores têm novamente apostado em ações de valor recentemente, com a divulgação de dados promissores de vacinas da Pfizer e da Moderna que geraram otimismo sobre a reabertura da economia global.

“Quando olhamos para 2022, o vírus será uma memória desbotada, a economia robusta, mas em desaceleração, a curva de juros mais inclinada e a volatilidade mais baixa, e a rotação para cíclicos muito atrás de nós”, disseram.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.