Mercado abrirá em 1 h 46 min
  • BOVESPA

    108.651,05
    +248,77 (+0,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.241,81
    -113,05 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,94
    -1,56 (-1,72%)
     
  • OURO

    1.806,10
    -6,20 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    23.087,25
    -294,04 (-1,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    536,50
    -20,85 (-3,74%)
     
  • S&P500

    4.122,47
    -17,59 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    32.774,41
    -58,13 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.492,95
    +4,80 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.057,50
    +26,00 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2450
    +0,0123 (+0,24%)
     

Crediário do e-commerce: saiba como funcionam os pagamentos Buy Now, Pay Later

O Buy Now, Pay Later (BNPL) é uma solução de pagamento a prazo, que lembra o famoso e velho crediário. É uma evolução do carnê que agora pode ser utilizado no comércio online. A modalidade de pagamentos, traduzida para o português, significa "compre agora pague depois". É a nova opção para o consumidor que quer adiar ou parcelar sem juros o pagamento de um produto. No entanto, é necessário que o cliente pague as parcelas no prazo certo, para que não seja cobrado nenhum valor a mais.

É uma nova opção de pagamento a prazo, que pode ser oferecida tanto em loja física ou virtual. Ela possibilita ao cliente comprar um produto sem ter que pagar de uma vez só. O pagamento pode ser realizado sem juros por um período que o lojista definir.

Utilizar esse método é muito fácil, na hora de finalizar a compra em uma loja virtual por exemplo, o cliente pode selecionar a opção BNPL. Será solicitado os dados pessoais do comprador, após a aprovação a pessoa faz um pagamento parcial de geralmente 25% do total. O restante das parcelas será cobrada sem juros.

O método BNPL, compre agora pague depois é semelhante ao antigo carnê de crediário muito conhecido pelo brasileiro. Agora os clientes podem utilizar essa forma de pagamento nas lojas online (Imagem:Reprodução/Unsplash-CardMapr)
O método BNPL, compre agora pague depois é semelhante ao antigo carnê de crediário muito conhecido pelo brasileiro. Agora os clientes podem utilizar essa forma de pagamento nas lojas online (Imagem:Reprodução/Unsplash-CardMapr)

Números mostram crescimento do BNPL

De acordo com relatório "Informe de Tendências de Meios de Pagamento", da Minsait Payments, uma empresa especializada em pagamentos, cerca de 34% dos brasileiros entrevistados pela organização conhecem o novo modo de pagar as compras, mas desses, apenas 17% utilizam o método Buy Now, Pay Later na hora de comprar um produto.

O BNPL foi uma opção de pagamento bastante utilizada pelos compradores em 2021. A expectativa é que esse número continue aumentando; e na América Latina as transações através desse método alcançaram o valor de US$ 69 bilhões (R$ 325 bilhões). No mundo somaram quase R$ 500 bilhões.

Mesmo com a popularização desse método de pagamento, ele ainda apresenta baixos níveis de uso na América Latina, sendo a República Dominicana o país da região que mais utiliza o BNPL com 21% das compras pagas; em seguida tem o Equador com 20%, Brasil com 17%, Colômbia 16%, México 15%, e por último tem o Chile com apenas 4% de utilização.

Segundo especialistas da Minsait Payments, o BNPL promove uma maior capacidade de fechar as vendas online. Exigindo apenas que a jornada do cliente ao longo do processo de compra seja facilitado pelo lojista, com alertas antecipados destacando o novo modo de pagamento antes mesmo que chegue a hora de pagar.

Segundo especialistas da empresa Minsait Payments, o BNPL gera no consumidor a sensação de poder gastar mais, o que favorece o lojista que disponibiliza essa opção de pagamento em seu comércio, seja ele online ou físico (Imagem:Reprodução/unsplash/David Dvořáček)
Segundo especialistas da empresa Minsait Payments, o BNPL gera no consumidor a sensação de poder gastar mais, o que favorece o lojista que disponibiliza essa opção de pagamento em seu comércio, seja ele online ou físico (Imagem:Reprodução/unsplash/David Dvořáček)

Segundo especialistas do segmento, a ideia do parcelamento sem juros gera no consumidor a sensação de que ele pode gastar mais, favorecendo o comerciante. Outra vantagem é que, mesmo com o cliente realizando os pagamentos parcelados, a remuneração para o lojista é realizado no dia seguinte, pois o BNPL é como um empréstimo dado por fintechs ao consumidor.

Dessa maneira, o lojista não precisa se preocupar em receber o valor conforme as parcelas vão sendo pagas e nem mesmo precisa aguardar até o final do mês.

A Minsait Payments explica que, apesar dessa vantagem, não é fácil fechar parcerias com milhares de comércios online do mercado. Nesse sentido, as fintechs passaram a utilizar os cartões BNPL virtuais de uso único, de modo a atender as necessidades dos clientes quando encontra um lojista que não possui disponível a nova opção de pagamento.

Instituições financeiras que emitem cartões de débito podem oferecer aos clientes a possibilidade de utilizar o próprio cartão na modalidade BNPL (parcelado sem juros), em qualquer loja online ou física.

Nesses casos, é preciso a integração com uma plataforma de meios de transações avançados, que possibilitem a captura do débito do cliente e o crédito para o lojista; além de terem a capacidade de emitir os cartões virtuais e realizarem a gestão de crédito transacional para facilitar o pagamento do cliente.

O BNPL exige uma agregação financeira entre as plataformas que oferecem o serviço, para facilitar a inclusão e a pontuação do cliente. Dessa maneira, é possível obter os dados do consumidor de maneira confiável, o que no futuro permitirá uma aprovação de crédito mais rápida, de maneira ágil e segura.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos