Mercado abrirá em 7 h 7 min

Creches para cães chegam a cobrar R$ 3 mil por mês

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
CachorroSucesso no período de pandemia, creches para cães desestressaram os animais e permitiram que eles gastassem energia fora de casa
Sucesso no período de pandemia, creches para cães desestressaram os animais e permitiram que eles gastassem energia fora de casa

(Getty Images)

  • Creches para cachorros fazem sucesso mesmo com menos restrições da pandemia;

  • Estabelecimentos chegam a cobrar R$ 3 mil por mês e oferecem diversas regalias;

  • Opção é aprovada por quem precisa trabalhar presencialmente ou deseja viajar.

As creches para cachorros parecem ter chegado para ficar. Sucesso no período de pandemia, em que era impossível sair para dar uma volta no quarteirão ou socializar, os estabelecimentos desestressaram os animais e permitiram que eles gastassem energia fora de casa. Mas mesmo agora, em que as restrições impostas pela Covid-19 estão cada vez menores, seguem como partes fiéis do dia a dia dos cães.

No mercado, há opções das mais básicas às mais luxuosas, em que os bichinhos desfrutam de aulas de natação, musicoterapia, cromoterapia, acupuntura e até refeições especiais com vegetais e carnes selecionados por nutricionistas. Os preços podem chegar a R$ 3 mil por mês.

“Surgiu inclusive um nicho de empreendedores que alugam casarões em áreas nobres do Rio e de São Paulo para convertê-los em versões ultrassofisticadas”, conta ao UOL o especialista em comportamento animal Cleber Santos, dono da ComportPet.

As creches caninas, no entanto, de novas não têm nada. O empreendimento surgiu nos anos 2000, derivado de um negócio mais simples e caseiro lançado por cuidadores de pets. Há anos o mercado avança na casa dos dois dígitos, mas explodiu com a pandemia.

“Os animais começaram a ficar agitados, apresentar quadros de ansiedade, e nesses espaços de socialização puderam extravasar a energia acumulada no lockdown”, explica ao portal a veterinária Kellen Oliveira, presidente da Comissão de Bem-Estar Animal.

Mercado de oportunidades

Somente no último ano, registrou-se um crescimento de 200% na procura pelas creches de cachorros. Os turnos chegam a 12 horas, dependendo do estabelecimento, bem como as regalias ofertadas aos cães – cujo céu é o limite.

Com o retorno da vida à normalidade, as pessoas estão voltando a trabalhar presencialmente nos escritórios e buscando viagens, o que faz com que as creches continuem presentes na vida de quem experimentou e gostou.

É o caso de Matheus Curcio, 27 anos, tutor da vira-lata Madalena. Dois anos atrás, ela foi matriculada em um desses ‘oásis’ e teve mudanças significativas no comportamento. “Ela nunca mais brigou com outros cachorros nem arranjou confusão com as pessoas”, relata o dono ao UOL, que gosta de observar online e em tempo real as atividades que a cadela participa.

No Brasil, há cerca de 54,2 milhões de cachorros das mais variadas raças, número superior ao de crianças. Em 2021, o faturamento relativo à toda a cadeia produtiva cravou R$ 51,7 bilhões, um crescimento de 27% em relação ao ano anterior - o que só comprova o aquecimento desse mercado cada vez mais atrativo a quem tem um amigo de quatro patas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos