Mercado fechará em 2 h 53 min
  • BOVESPA

    120.376,03
    +314,04 (+0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.973,18
    +105,56 (+0,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,51
    +0,16 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.781,60
    -11,50 (-0,64%)
     
  • BTC-USD

    55.014,32
    -1.249,68 (-2,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.290,62
    +47,57 (+3,83%)
     
  • S&P500

    4.161,42
    -12,00 (-0,29%)
     
  • DOW JONES

    33.965,45
    -171,86 (-0,50%)
     
  • FTSE

    6.938,24
    +42,95 (+0,62%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.936,50
    +17,25 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5923
    -0,1097 (-1,64%)
     

Crítica | Servant encerra 2ª temporada com mais clareza e as mesmas frustrações

Natalie Rosa
·4 minuto de leitura

A estreia do Apple TV+, em 2019, aconteceu com algumas séries já disponíveis do catálogo, como Servant. A trama, criada por M. Night Shyamalan, conhecido por filmes como O Sexto Sentido e Fragmentado, conta uma história sobrenatural cheia de mistérios que, desde o início, não tem pressa e nos apresentar respostas.

Servant começa contando a história do casal Dorothy Turner (Lauren Abrose) e Sean Turner (Toby Kebbel), que lidam com a tragédia que aconteceu com o filho recém-nascido, Jericho. O que parece, inicialmente, uma trama que fala sobre lutos e traumas, logo se torna em um caso que envolve questões sombrias, religião, crenças, seitas e o absurdo.

<em>Imagem: Divulgação/Apple TV+</em>
Imagem: Divulgação/Apple TV+

Atenção: esta crítica contém spoilers da série Servant!

Na primeira temporada, acompanhamos a bizarra transformação de um boneco com feições humanas, que era criado por Dorothy para superar o trauma de Jericho, com a ajuda da babá Leanne, em um bebê de verdade. Enquanto nos questionávamos sobre como isso aconteceu, se foi o resultado de alguma magia ou se era um bebê sequestrado, ficamos agoniados com o fato de ninguém falar à mãe que Jericho morreu e que aquele recém-nascido não deveria estar ali. Sendo assim, as expectativas para que essa revelação fosse feita, ultrapassando as barreiras do cuidado com a saúde mental da personagem, foram todas depositadas na segunda temporada.

A espera por esse momento acabou sendo frustrante, pois Dorothy continuou sendo tratada como uma peça frágil e delicada prestes a quebrar a qualquer momento, e que poderia apresentar sentimentos que beirassem a loucura ao cair na realidade. Porém, não precisou que ela descobrisse de tudo isso para chegar à insanidade. Vemos nesses novos episódios, então, Dorothy tendo a cada vez mais atitudes perigosas quando Jericho some com Leanne. É quando presenciamos cenas absurdamente agoniantes, ainda que venham de uma mãe que faz tudo pelo seu filho, com sequestros, tortura, chantagem e manipulação, mas sempre com aquele detalhe: ninguém fala a verdade para essa pobre mulher.

<em>Imagem: Divulgação/Apple TV+</em>
Imagem: Divulgação/Apple TV+

A série, porém, nos dá alguns indícios de como aquele bebê apareceu. Conhecemos mais sobre a família de Leanne, seu passado, onde ela foi criada e quais são os rituais feito por ela e os personagens relacionados a sua história. Vemos a possibilidade de ressurreição, com Leanne tendo feito esse ritual por ter se apegado tanto à família Turner e acreditado na bondade e merecimento de Dorothy. O sentimento da jovem em relação à patroa, como vemos em alguns sinais ao longo das duas temporadas, é quase que materno, com elas tendo se encontrado anos atrás, quando a vida da babá ainda aparentava ser normal.

Mas uma das dúvidas sobre o que é Leanne ainda ficaram no ar: seria ela um anjo, um demônio, algo no meio disso? Suas intenções são, de fato, boas? O que se sabe, no entanto, é que se Leanne realmente foi quem trouxe Jericho à vida, isso foi algo que ela não deveria ter feito e está pagando pelas consequências, ainda que a família Turner seja quem mais está sofrendo com tudo o que está acontecendo. Enquanto isso, a perda da sanidade de Dorothy é evidente a cada episódio que passa.

<em>Imagem: Divulgação/Apple TV+</em>
Imagem: Divulgação/Apple TV+

A primeira temporada de Servant apresenta um ritmo mais lento, mas a apresentação da história era constante, já a segunda tem um ritmo muito mais acelerado, com os acontecimentos surgindo de forma mais dinâmica e de tirar o fôlego, mas os esclarecimentos demoram para aparecer. Então, apesar de trazer sugestões que podem sanar as nossas dúvidas, a temporada acaba frustrando por não deixar tudo muito claro. Além disso, para quem assistiu a um episódio por semana, a espera pelo próximo era mais agoniante, uma vez que a trama apela para episódios curtos.

No fim, assim como a primeira temporada, Jericho reaparece "magicamente" na casa, momentos depois de Toby demonstrar uma exaustão com tudo o que está acontecendo e estar prestes a contar a Dorothy tudo o que aconteceu. A expectativa, agora, com terceira temporada que já está confirmada, é que tenhamos mais esclarecimentos sobre o culto, os rituais e, principalmente, quem é Leanne. Talvez, em algum momento, Dorothy retorne à lucidez e passe a entender que algo muito sombrio foi feito para que ela tivesse Jericho em seus braços novamente.

<em>Imagem: Divulgação/Apple TV+</em>
Imagem: Divulgação/Apple TV+

Servant está disponível no Apple TV+ em duas temporadas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: