Mercado fechará em 6 h 54 min

Crítica Queer Eye Brasil | Reality mantém essência emotiva do programa original

Depois do elenco de Queer Eye viajar ao Japão para transformar a vida de pessoas de uma nova cultura, chegou a hora da Netflix fazer mais uma viagem, dessa vez para a América do Sul. Mas ao contrário da versão japonesa do programa, a brasileira não traz o elenco norte-americano, mas sim o seu próprio.

Fred, Lucas, Rica, Guto e Yohan formam o elenco do reality show Queer Eye Brasil, cada um usando seus talentos para deixar a vida dos participantes melhor. A premissa do programa é se aprofundar nas questões mais complicadas da vida das pessoas e mudá-las a longo prazo.

Atenção: esta crítica pode conter spoilers da primeira temporada de Queer Eye Brasil!

<em>Os cinco novos fabulosos (Imagem: Divulgação/Ivan Erick/Netflix)</em>
Os cinco novos fabulosos (Imagem: Divulgação/Ivan Erick/Netflix)

Diferenças entre a versão americana e brasileira

A versão brasileira do programa é bastante parecida com a original. Afinal, não seria interessante modificar um formato que vem funcionando tão bem. Cada um dos fabulosos conta com o seu talento, seja na arquitetura, bem-estar, beleza ou relações interpessoais, e em Queer Eye Brasil essas funções são mais abrangentes.

Não existe um Antoni, por exemplo, para te ensinar a cozinhar, mas sim um Lucas que vai te ajudar a ser uma pessoa mais sociável, e com isso vem a imersão na cozinha. Para complementar nessa questão, vem Fred, médico, adaptando a alimentação a uma rotina mais saudável. É como se a versão brasileira do reality show trouxesse uma conexão maior entre uma tarefa e outra, o que não chega a ser uma diferença tão aparente justamente por haver uma sintonia.

Não há como não comparar os fabulosos brasileiros com os do programa original. Afinal, foram as personalidades que nos cativaram desde a primeira temporada do programa. Cada um dos apresentadores de Queer Eye Brasil conta com seus toques de carisma para deixar o reality mais interessante e, claro, conquistar os participantes.

<em>Os fabulosos conhecem diferentes histórias no programa (Imagem: Divulgação/Netflix)</em>
Os fabulosos conhecem diferentes histórias no programa (Imagem: Divulgação/Netflix)

Por ser a primeira temporada, talvez falte um pouco mais do sentimento de conforto de estar cumprindo essas missões tão importantes, e na próxima temporada poderemos assistir aos fabulosos mais soltos, fazendo mais brincadeiras e mais à vontade. É importante assistir ao programa e imaginar que todo começo é sempre mais reprimido, ainda que isso não o torne menos interessante.

Muita emoção

As histórias trazidas pelo Queer Eye Brasil também são bastante emocionantes. Enquanto algumas te fazem rir por contar com personagens extremamente divertidos e caricatos, outros vão te deixar mais emotivo e refletindo ainda mais sobre a vida. A magia do programa, portanto, mais uma vez é em trazer identificação e empatia.

Todos os episódios da temporada trazem um balanço entre essas duas questões, apresentando uma série que diverte e emociona na medida certa. Outro fator interessante da fórmula do reality show é ver que existem pessoas de bom caráter mediante a cinco homens gays e trans, o que traz um pouco de esperança para que a diversidade como um todo seja mais aceita na sociedade.

Queer Eye Brasil já está disponível na Netflix em seis episódios.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: