Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.512,38
    +480,41 (+0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.801,68
    +163,32 (+0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,13
    -2,28 (-2,55%)
     
  • OURO

    1.790,40
    -7,70 (-0,43%)
     
  • BTC-USD

    23.913,83
    -182,46 (-0,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    569,15
    -2,76 (-0,48%)
     
  • S&P500

    4.305,20
    +8,06 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.152,01
    +239,57 (+0,71%)
     
  • FTSE

    7.536,06
    +26,91 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    19.830,52
    -210,34 (-1,05%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,87 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.663,50
    -17,75 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2319
    +0,0534 (+1,03%)
     

Crítica O Telefone Preto | Horror tem narrativa fácil, mas com significado

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Acaba de chegar aos cinemas mais um thriller que promete ser um dos queridinhos dos fãs do gênero: O Telefone Preto. O longa, dirigido por Scott Derrickson (Doutor Estranho, O Exorcismo de Emily Rose), se diferencia por não apelar em cenas grotescas, apesar do terror envolvido.

O filme conta uma história que, de fato, é aterrorizante, e mesmo se dedicando a trazer esses elementos no formato de thriller psicológico, deixando a nossa mente perturbada, não é uma obra difícil de assistir.

<em>Ethan Hawke interpreta o assassino em série (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)</em>
Ethan Hawke interpreta o assassino em série (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)

Atenção: esta crítica contém spoilers do filme O Telefone Preto!

O Telefone Preto é a adaptação de um conto já conhecido de 2005, presente na publicação Fantasmas do Século XX. Com a modernidade da história já presente no conto, o longa mostra como um aparelho de telefone foi usado para uma comunicação benéfica com os mortos.

O contexto

Mas antes de tudo isso, o filme de terror trata sobre o sequestro de crianças por um serial killer, termo que ainda estava se formando na época em que O Telefone Preto passa, na transição entre os anos 1970 e 1980. O assassino em série é um homem esquisito que transita pela cidade com uma van e balões pretos, além de uma máscara sorridente e assustadora.

Como o longa deixa de lado as cenas mais grotescas dos sequestros e dos assassinatos dos garotos que são capturados, vemos pouco do vilão em ação, interpretado por Ethan Hawke, e mais contexto. Os protagonistas são explorados com suas vidas difíceis, mesmo tão jovens, e quais são as cicatrizes que carregam.

Dentro dessa apresentação, não há como não se arrepiar e até se emocionar com a atuação dos pequenos Mason Thames (Finny) e Madeleine McGraw (Gwen). Os atores, principalmente McGraw, dão uma aula de como transparecer o medo para o outro lado da tela.

<em>A atuação dos atores crianças são um grande destaque do filme (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)</em>
A atuação dos atores crianças são um grande destaque do filme (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)

O terror

Quando o protagonista é sequestrado, os momentos de terror prometidos pelo longa dão início, começando pela identidade misteriosa do assassino. Também sentimos a aflição de dentro do cativeiro, quando qualquer ação pode resultar em uma reação que não desejamos do vilão.

Nos poucos momentos em que Hawke aparece na tela, vemos o clichê do homem cruel e imprevisível, mas logo é ofuscado pelas ações da própria vítima. As comunicações pelo telefone, que o sequestrador disse estar desligado, começam junto à parte sobrenatural do filme.

Não vemos o assassinato das vítimas anteriores, mas logo descobrimos que eles foram mortos. Já sabendo também que eram conhecidos de Finney, a aproximação com o protagonista enche ainda mais a trama com sentimento. Então, esses fantasmas que já passaram por tudo o que o garoto está passando, ajudam a vítima a escapar.

Enquanto isso, a irmã Gwen, que tem visões misteriosas, precisa não só lidar com a perda do irmão, como escapar da violência sofrida pelo pai e usar seu "talento" para ajudar a polícia no caso. E assim nasce um equilíbrio perfeito para um filme de terror bem planejado e colocado em prática da mesma forma.

Pode-se dizer que O Telefone Preto é um filme de terror recomendado para quem tem medo do gênero, que consegue ir ao cinema sem esperar por grandes sustos ou cenas explícitas de violência. A parte perturbadora da história está em um enredo bem contado, acertando na apresentação dos detalhes e sem se arrastar em nenhum momento.

O Telefone Preto está em cartaz nos cinemas de todo o Brasil; garanta o seu ingresso na Ingresso.com.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos