Mercado abrirá em 1 h 30 min

Crítica | O Mundo Sombrio de Sabrina acaba mais divertida, mas decepciona

Natalie Rosa
·4 minuto de leitura

O último dia de 2020 começou com a estreia da quarta temporada de O Mundo Sombrio de Sabrina, sendo também a última parte da história, para dar um fim na adaptação da HQ de mesmo nome, baseada nos personagens da série de comédia Sabrina, Aprendiz de Feiticeira, da década de 1990. Os últimos episódios trouxeram um toque de humor para a produção de terror, com um pouco de nostalgia, referências em excesso e muitas tentativas de agradas aos fãs.

Depois de três temporadas, já ficamos mais do que acostumados com as bizarrices apresentadas na série, que desde a sua estreia se mostrou bem diferente da produção da qual se originou, que era voltada para a comédia. Por isso, também nos acostumamos com situações e personagens confusos, fato que se intensificou na última temporada.

Atenção: esta crítica pode conter spoilers de O Mundo Sombrio de Sabrina!

<em>Imagem: Divulgação/Netflix</em>
Imagem: Divulgação/Netflix

O Mundo Sombrio de Sabrina, série comandada por Roberto Aguirre-Sacasa, também autor das HQs, deveria ter mais uma temporada, mas acabou sendo cancelada precocemente, fazendo com que a quarta parte fosse a última. Isso pode ter resultado em uma pressa do roteiro e direção no desenvolvimento e finalização da história, que ficou um pouco sem sentido nesses últimos episódios, com casos e personagens se atravessando e não sendo muito bem desenvolvidos.

A série entregou, como sempre, muitas questões relacionadas à bruxaria, satanismo, ocultismo, entre outras crenças que somente os entendidos dos assuntos saberiam explicar perfeitamente do que se tratam — o que, inclusive, gerou polêmica no lançamento da trama, ainda em 2018. Entre o mundo mortal e o paranormal, a trama chegou ao fim mostrando as consequências de Sabrina ter criado uma nova versão de si mesma, Sabrina Morningstar, que comandaria o inferno enquanto ela teria uma vida normal no mundo dos humanos.

Porém, já é de outras produções que sabemos que tais alterações no espaço-tempo podem provocar o caos, e elas não poderiam coexistir. No início, Sabrina se sente sozinha, pois todos os seus amigos formam casais, e mergulha em questões absurdas sobre acreditar que ficaria solteira para sempre, mesmo tendo apenas 16 anos, e passa a tomar atitudes irresponsáveis ao se encontrar com a outra versão dela mesma, e acaba pagando por isso.

<em>Imagem: Divulgação/Netflix</em>
Imagem: Divulgação/Netflix

Greendale e o mundo começaram a ser ameaçados pelos Oito Terrores do Sobrenatural, e as Sabrinas precisariam unir forças para combater essas oito ameaças instigadas por Father Blackwood, que se autointitulou de Reverend Lovecraft, e baseadas nas obras do escritor H.P. Lovecraft, bastante referenciado em outras obras. Esses terrores se manifestam de diferentes formas, trazendo para O Mundo Sombrio de Sabrina a história grotesca da vez, cheia de perigos para a humanidade e para a sobrevivência da própria protagonista, interpretada pela atriz Kiernan Shipka, que entrega a interpretação de duas Sabrinas com classe e ganhando todo o mérito da temporada pela sua atuação.

No entanto, vale destacar mais uma vez que a história não foi tão cativante, apesar de trazer uma leveza com humor e muitos pontos de um bom entretenimento, e se manteve ainda mais atrapalhada. A cada episódio, um novo terror aparece, trazendo pequenas histórias dentro da história geral, totalmente nonsenses e com furos, provavelmente pela pressa em entregar todos os desejos dos roteiristas para pouco tempo de série, trazendo a frustração para os fãs mais fervorosos. Personagens vão e voltam, seus desejos e personalidades vão mudando constantemente, junto aos diferentes cenários, mundos paralelos e acontecimentos, e tudo fica muito, muito confuso.

<em>Imagem: Divulgação/Netflix</em>
Imagem: Divulgação/Netflix

A trama, porém, não falhou em trazer uma produção divertida, mesmo que Sabrina sempre tenha carregado muitas questões em suas costas, principalmente envolvendo o seu destino como bruxa, algo que não conseguiu escapar, junto aos seus desejos de também ser uma adolescente normal. A personagem sempre foi boa por natureza e, por mais que tenha atitudes inconsequentes como as de qualquer adolescente, se mostrou ao longo das quatro temporadas estar disposta a tudo para salvar a família, amigos e o mundo, inclusive colocando a sua própria vida em jogo.

O Mundo Sombrio de Sabrina, apesar do visível desespero em entregar o final desejado e de agradar os fãs, acabou conseguindo homenagear Sabrina mesmo com a sua morte, sendo uma grande perda para os familiares, amigos e toda a cidade de Greendale. A sua morte, porém, pode ser sido um tanto quanto desnecessária, uma vez que acabou significando que muitos dos esforços da personagem por uma vida melhor foi em vão, mas talvez isso também tenha sido uma forma de mostrar que não há como lutar contra a sua própria natureza, o que acaba sendo um fim triste demais para a bruxa adolescente.

Você já pode maratonar a última temporada de O Mundo Sombrio de Sabrina na Netflix.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: