Mercado fechado

Crítica O Enfermeiro da Noite | Um suspense sutil sobre caso real macabro

Mais um filme sobre um caso real chegou à Netflix: O Enfermeiro da Noite. O longa, protagonizado por Eddie Redmayne e Jessica Chastain, conta a história de um enfermeiro que cometeu inúmeros assassinatos sem nem sujar as mãos, na forma literal de se dizer.

Charles Cullen é um serial killer que injetava insula e digoxina nas bolsas de soro fisiológico dos hospitais em que trabalhou, o que acabava matando as pessoas de overdose. O criminoso assassinou centenas de pessoas dessa forma e, se não fosse por Amy Loughren, provavelmente não seria pego.

Atenção: esta crítica pode contar spoilers do filme O Enfermeiro da Noite!

<em>Eddie Redmayne e Jessica Chastain interpretam a dupla de enfermeiros (Imagem: Divulgação/Netflix)</em>
Eddie Redmayne e Jessica Chastain interpretam a dupla de enfermeiros (Imagem: Divulgação/Netflix)

Crueldade

Como um bom suspense, o filme O Enfermeiro da Noite já começa com uma atmosfera misteriosa, o que é apoiado graças às cenas noturnas. Dentro do hospital e na residência de Amy (Chastain), tudo é muito escuro e sombrio, entregando uma amostra do que estaria por vir.

O início do longa já entrega as cenas dos pacientes morrendo de forma misteriosa, antes mesmo de Amy começar a desconfiar do colega. Então, a trama reveza entre as investigações policiais, os momentos de amizade entre a dupla de enfermeiros e longos momentos cheios de suspense nos corredores do hospital escuro.

Em O Enfermeiro da Noite, a crueldade de Charles não é vista com Redmayne perfurando as bolsas de soro ao injetar os líquidos que matarão suas vítimas, mas sim nas expressões e atitudes. O personagem começa se mostrando uma pessoa carismática e empática, e conforme seus planos vão sendo descobertos vemos a mudança para um homem frio que finge, até de forma debochada, que não sabe que está sendo desmascarado.

<em>Enfermeiro da Noite é um suspense que aposta na simplicidade (Imagem: Divulgação/Netflix)</em>
Enfermeiro da Noite é um suspense que aposta na simplicidade (Imagem: Divulgação/Netflix)

A personagem de Chastain também tem seu mérito na atuação, demonstrando a agonia de uma mulher que tenta acabar com as matanças de Charlie enquanto enfrenta uma doença grave. Essa missão se torna mais intensa quando o desespero de descobrir os crimes mescla com a falta de ar e palpitação causadas pelo problema de saúde.

Vale a pena assistir O Enfermeiro da Noite?

O Enfermeiro da Noite é um filme que não explora muitos recursos para ser misterioso, com o diretor Tobias Lindholm (Druk, A Caça), apostando no simples para ser intrigante. Com isso, a produção acaba sendo longa demais para o que se propõe a apresentar, e não faria diferença se tivesse, pelo menos, uns 20 minutos a menos, principalmente pelo incômodo da baixa iluminação.

Ainda assim, é um filme que consegue prender a atenção pelo drama e curiosidade de qual será o desfecho. O elenco pequeno consegue transparecer a agonia dos acontecimentos de forma sutil, o que ocorre pela escolha do diretor, não pela falta de talento. Portanto, o longa se mantém firme no que se propõe e é mais uma ótima produção sobre um caso real feita pela Netflix.

O Enfermeiro da Noite já está disponível na Netflix.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: