Mercado fechará em 2 h 38 min
  • BOVESPA

    107.322,09
    -1.619,59 (-1,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.362,38
    -1.237,00 (-2,40%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,56
    -2,58 (-3,03%)
     
  • OURO

    1.834,70
    +2,90 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    34.296,28
    -1.077,99 (-3,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    782,35
    -28,25 (-3,48%)
     
  • S&P500

    4.291,46
    -106,48 (-2,42%)
     
  • DOW JONES

    33.606,34
    -659,03 (-1,92%)
     
  • FTSE

    7.318,65
    -175,48 (-2,34%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.002,75
    -423,75 (-2,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2244
    +0,0344 (+0,56%)
     

Crítica King's Man: A Origem | Prequela entretém, mas é facilmente ofuscada

·4 min de leitura

Entre tentativas de expandir um universo já criado no cinema, há o novo King's Man: A Origem, que serve de prequela da história original protagonizada por Taron Egerton e Colin Firth em Serviço Secreto e O Círculo Dourado. Desta vez, o público é arremessado para o período da Primeira Guerra Mundial, que serve como contexto da criação da agência e pano de fundo para o desenvolvimento dos personagens principais da trama.

Há muita ousadia aqui em aterrissar num período histórico tão rico em detalhes. Abrindo espaço para uma nova dupla masculina protagonizar a franquia — o Duque inglês Orlando (Ralph Fiennes) e Conrad (Harris Dickinson), seu filho —, abre-se um leque de possibilidades baseadas em conspirações que poderiam ter ocorrido durante a Primeira Guerra, bem como motivos que levaram certos países ingressarem e saírem do conflito.

Conhecemos aqui um duque pacifista após presenciar a morte de sua esposa e, consequentemente, prometê-la que jamais deixaria seu filho entrar numa batalha. No entanto, Conrad é apaixonado pela ideia de servir seu país em guerras, o que gera uma série de discussões ideológicas com seu pai.

King's Man: A Origem, apoiado nessa premissa, se desenvolve da mesma maneira que os dois primeiros filmes o fizeram: com o humor característico e as exageradas cenas de ação, usando e abusando do zoom e das movimentações da câmera. Isso funciona e também é o que faz com que esses momentos sejam os de maior destaque em todo o longa. A falha, contudo, é justamente a maneira que a franquia perde o fôlego na tentativa de explorar ainda mais sua história.

Falta fôlego em King's Man: A Origem (Imagem: Divulgação / 20th Century Studios)
Falta fôlego em King's Man: A Origem (Imagem: Divulgação / 20th Century Studios)

Há um desejo genuíno, como é de se comentar, de manter isso funcionando. Fiennes e Dickinson estão ótimos nos papéis principais e mantêm o filme girando. Suas dinâmicas, embora não tão irresistíveis como a de Firth com Egerton, funcionam bem. O mesmo acontece com Tom Hollander, que aqui dá vida a três diferentes papéis.

Mau momento

Por mais atraente que tenha sido sua campanha promocional, King's Man: A Origem acaba sendo vítima do momento em que chega aos cinemas. A prequela entra em cartaz ainda no momento de Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa e disputa fortemente a bilheteria com Matrix Ressurections. Muito disso vem por diversos adiamentos por conta da pandemia de covid-19, que acabou deixando a indústria cinematográfica sem escolhas a não ser colocar fortes estreias uma atrás da outra.

King's Man: A Origem: Uma história qualquer ou um mau momento para entrar em cartaz? (Imagem: Divulgação / 20th Century Studios)
King's Man: A Origem: Uma história qualquer ou um mau momento para entrar em cartaz? (Imagem: Divulgação / 20th Century Studios)

O filme, apesar de entreter aqueles que de fato querem acompanhar sua história, acaba sendo uma opção longa, cansativa e um tanto cabeçuda devido aos detalhes históricos de seu contexto. Ainda há o detalhe que King's Man sempre tem imagens sensíveis para o público mais jovem por conta de suas cenas de ação e efeitos visuais, o que recorta um pouco seu público-alvo e o deixa ainda mais ofuscado diante de tantas outras opções.

No entanto, ainda há o que se elogiar. Com personagens tão elaborados e num período tão longíquo, cair em estereótipos de gênero e um senso comum um tanto machista era fácil, mas King's Man: A Origem os ignora com maestria. A relação entre os dois protagonistas é o mais interessante de se acompanhar nesse aspecto: retratando um amor fraternal entre dois homens sem esbarrar em masculinidade tóxica ou paradigmas sexistas.

Gemma Arteton está excelente em King's Man: A Origem (Imagem: Divulgação / 20th Century Studios)
Gemma Arteton está excelente em King's Man: A Origem (Imagem: Divulgação / 20th Century Studios)

Gemma Arterton brilha como Polly e oferece interessantes plot twists em suas aparições. A atriz está confortável e bastante confiante em seu papel, sabendo tão bem roubar as cenas em que aparece que deixa um gostinho de quero mais para o público.

Gancho para próximos capítulos

E parece que os produtores não querem finalizar a história de Kingsman por aqui. Uma cena pós-créditos do longa deixa bem claro que, provavelmente ao observar a recepção da prequela, ainda há muito o que explorar na saga de ação. Há aquele ar de expectativas no momento em que a agência secreta é criada, mas também há outras ramificações que o longa joga na tela para atiçar a curiosidade do público. O futuro, ao que tudo indica, está nas mãos dos fãs.

Dupla de protagonistas roubam a cena em King's Man: A Origem (Imagem: Divulgação / 20th Century Studios)
Dupla de protagonistas roubam a cena em King's Man: A Origem (Imagem: Divulgação / 20th Century Studios)

King's Man: A Origem estreia nos cinemas de todo o Brasil no dia 6 de janeiro de 2022; garanta o seu ingresso na Ingresso.com. Os demais filmes da franquia estão disponíveis no catálogo do Star+.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos