Mercado abrirá em 8 h 30 min
  • BOVESPA

    106.858,87
    +1.789,18 (+1,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.605,56
    +8,27 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,93
    +0,44 (+0,63%)
     
  • OURO

    1.779,80
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    50.866,36
    +1.730,29 (+3,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.315,42
    +55,26 (+4,39%)
     
  • S&P500

    4.591,67
    +53,24 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    35.227,03
    +646,95 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.232,28
    +109,96 (+1,54%)
     
  • HANG SENG

    23.662,06
    +312,68 (+1,34%)
     
  • NIKKEI

    28.282,01
    +354,64 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    15.853,00
    +10,25 (+0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4272
    +0,0036 (+0,06%)
     

Crítica Ghostbusters: Mais Além | Para quem você vai ligar?

·5 min de leitura

Nessa nova leva de filmes que mergulham na nostalgia do público, não é equivocado dizer que existe uma certa resistência da parte dos fãs quando o assunto é revisitar seus filmes favoritos. Há certas franquias e universos que talvez a melhor alternativa é justamente não mexer, mas numa indústria que os números de bilheteria sempre falarão mais alto, é difícil conseguir controlar a mina de ouro que Hollywood encontrou na memória afetiva.

Com os Caça-Fantasmas, já houve anteriormente uma tentativa de revisitar a franquia em 2016, dessa vez trazendo um elenco completamente feminino para viver as personagens principais. Embora tenha sido bem avaliado pela crítica, adquirindo até mesmo o certificado Fresh no Rotten Tomatoes, o longa acabou sendo um fracasso de audiência e até mesmo ignorado por alguns fãs da franquia original.

No entanto, em Ghostbusters: Mais Além, temos aqui Hollywood dando mais uma chance para uma versão mais moderna das aventuras vividas por Peter Venkman, Raymond Stantz, Egon Spengler e Winston Zeddemore graças a algo que nunca se mostrou ser um segredo para uma fórmula dar certo, mas que muitas produções atuais pecam: olhar para o material original com carinho.

Atenção! Esse texto pode ter spoilers.

McKenna Grace brilha no papel da pequena, curiosa e inteligente Phoebe (Imagem: Reprodução / Sony Pictures Entertainment)
McKenna Grace brilha no papel da pequena, curiosa e inteligente Phoebe (Imagem: Reprodução / Sony Pictures Entertainment)

Mais Além é um exemplo perfeito sobre como um diretor pode mudar o rumo de um projeto justamente por sentir o compromisso de estender um legado. Jason Reitman assume agora um bastão que foi dado por ninguém menos que seu pai, Ivan Reitman, diretor dos Caça-Fantasmas original. Em entrevistas anteriores, o cineasta nunca escondeu como olha para os filmes com carinho e admiração, mas é vendo o produto final que percebemos a emoção transbordar os quatro cantos da tela e alcançar o espectador.

Colocar o elenco original para simplesmente marcar presença nunca foi algo que funcionou de fato, apesar de trazer toda a nostalgia da figura em si. No entanto, a forma como o novo Ghostbusters: Mais Além é construído é o que traz toda a magia para o público novo e para os fãs dos filmes da década de 1980. Dando um frescor à franquia com um elenco repleto de carinhas novas (sobretudo as de Mckenna Grace e Finn Wolfhard, de Young Sheldon e Stranger Things, respectivamente), o longa ainda derrama imagens visuais fascinantes pela tecnologia atual de efeitos visuais.

Finn Wolfhard, o rostinho mais comercial do elenco do novo Ghostbusters (Imagem: Reprodução / Sony Pictures Entertainment)
Finn Wolfhard, o rostinho mais comercial do elenco do novo Ghostbusters (Imagem: Reprodução / Sony Pictures Entertainment)

Reitman ainda assina um roteiro coeso e intrigante ao lado de Gil Kenan (de A Casa Monstro), este último que traz claras influências de seus trabalhos anteriores para o projeto atual. A atmosfera de Ghostbusters foi inteiramente pensada para captar um público novo, apostando em ambientações que já foram comprovadas anteriormente serem um sucesso certeiro: flertando com o terror e ficção-científica, o novo longa da franquia envolve os personagens num mistério sem explicações, resultado de ocorridos estranhos e de muito suspense que acontecem em lugares pontuais de uma cidadezinha.

A história ainda se desprende da original logo no início, acontecendo longe dela até mesmo geograficamente. Os fãs poderão conhecer novos personagens que, eventualmente, terão suas jornadas cruzadas com a dos Caça-Fantasmas originais e, consequentemente, descobrirão que os ocorridos em Nova York nos anos 80 estão mais ligados com o presente do que eles imaginavam.

Paul Rudd diverte como Mr. Grooberson, um professor fascinado por ciência (Imagem: Reprodução / Sony Pictures Entertainment)
Paul Rudd diverte como Mr. Grooberson, um professor fascinado por ciência (Imagem: Reprodução / Sony Pictures Entertainment)

É claro que tudo isso ocorre da maneira mais divertida para os fãs: por meio de easter eggs e inúmeras referências à saga original, com elementos que vão sendo introduzidos em contextos adequados e com muito carinho na narrativa, e não somente jogados na tela com a esperança do público conseguir ligar os pontos. No final das contas, a experiência final acaba ressoando de forma diferente em cada um, sendo capaz de emocionar, divertir e, sobretudo, soar como um afago no coração dos espectadores que se divertiram com os Caça-Fantasmas originais.

Ghostbusters: Mais Além é, acima de tudo, um filme sobre legado e sobre dar continuidade a algo já criado com muito carinho anteriormente. É nítido em cada momento do filme como cada um dos atores se divertem dando um novo vigor à franquia, mesmo que dessa vez tenha uma abordagem bem diferente da do usual. O filme ainda acerta num agrado universal, em que mesmo aqueles que não acompanharam de perto à série cinematográfica (ou não assistiram a um filme sequer), poderão se divertir.

Longa-metragem dá muito mais visibilidade às personagens femininas da franquia (Imagem: Reprodução / Sony Pictures Entertainment)
Longa-metragem dá muito mais visibilidade às personagens femininas da franquia (Imagem: Reprodução / Sony Pictures Entertainment)

McKenna Grace brilha no papel da jovem Phoebe e entrega uma dinâmica muito interessante com Trevor de Wolfhard, que ainda interpreta seu irmão mais velho. As personagens mulheres estão ainda mais em peso e em protagonismo nesse longa, capaz de desmitificar a ideia de que o último Caça-Fantasmas "só não deu certo" por conta do elenco feminino. Paul Rudd, Logan Kim e até mesmo os Caça-Fantasmas originais transbordam alegria em suas interpretações, o que apenas comprova de que o filme consegue ser uma diversão garantida para toda a família.

O filme é um abraço do pai e filho Reitman nos fãs da franquia original e sobretudo o cumprimento de um legado iniciado com muito carinho. O filme chega aos cinemas brasileiros nessa quinta-feira, 18 de novembro de 2021 pela Sony Pictures.

Ghostbuster: Mais Além está em cartaz nos cinemas de todo o Brasil; garanta seu ingresso na Ingresso.com.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos