Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.114,16
    -2.601,84 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.808,56
    -587,38 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,34
    -2,40 (-3,05%)
     
  • OURO

    1.629,30
    -26,30 (-1,59%)
     
  • BTC-USD

    19.132,16
    +230,45 (+1,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,96
    +5,86 (+1,35%)
     
  • S&P500

    3.655,04
    -38,19 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    29.260,81
    -329,60 (-1,11%)
     
  • FTSE

    7.020,95
    +2,35 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.315,50
    -61,25 (-0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1798
    +0,0822 (+1,61%)
     

Crítica De Férias da Família | Besteirol com Kevin Hart diverte mas não inova

O novo filme de comédia besteirol da Netflix chegou ao catálogo da plataforma entregando o que promete: diversão e boas risadas. Intitulado De Férias da Família, o longa que é estrelado por Kevin Hart (O Homem de Toronto) e Mark Wahlberg (Uncharted: Fora do Mapa) traz boas cenas cômicas e um exagero na medida, mas sem muitas novidades.

A obra segue a premissa de Sonny (Kevin Hart) um pai de família e trabalhador do lar que está cansado dos afazeres domésticos e precisa tirar um tempo para si, ou como dizem em inglês “me time”. Quando a esposa e os filhos decidem viajar de férias, ele vê a oportunidade de descansar e fazer coisas que sempre quis, como ir a um clube de stripper, por exemplo.

Mas, suas férias da família começam a mudar mesmo quando reencontra Huck (Mark Wahlberg), seu antigo melhor amigo que ele não via há anos. Juntos, os dois vivem momentos insanos como ir a uma festa no meio do deserto, roubar uma tartaruga e até mesmo fugir de um puma selvagem.

Esse e outros exageros, apesar de muitas vezes serem irreais, garantem momentos cômicos e boas risadas. A dupla de protagonista também entrega boa atuação, e o combo direção e roteiro de John Hamburg (Quero Ficar com Polly) funciona bem—mas poderia ser melhor.

Coadjuvantes carismáticos e trama simples

Se os protagonistas entregam um bom trabalho, os coadjuvantes também não decepcionam. O destaque fica para Regina Hall (Girls Trip) que dá vida à Maya Fisher, a esposa firme e decida de Sonny, Ilia Isorelýs Paulino (As Trambiqueiras) que vive Thelma, uma amiga atrapalhada e engraçada e Che Tafari (Rel) que dá vida à Desh, o filho de Sonny, um garoto divertido que em um momento de coragem enfrenta o pai e diz que não quer ser tecladista.

O fato da trama ser simples, sem elementos que surpreendam o espectador não é um grande problema, só torna o longa básico, ou seja, um bom filme para ver quando se quer relaxar e não pensar em nada.

A impressão que fica é que De Férias da Família se escora na imagem e no talento de Hart e Wahlberg, e não se esforça tanto para construir algo realmente incrível.

Hart e Wahlberg formam uma boa dupla em De Férias da Família (Imagem:Reprodução/Netflix)
Hart e Wahlberg formam uma boa dupla em De Férias da Família (Imagem:Reprodução/Netflix)

Outro ponto importante é que no filme há uma inversão de papéis do modelo “tradicional” adotado pela sociedade. Enquanto Sonny (o homem) fica com os filhos, Maya (a mulher) sai para trabalhar e cuidar do sustento da família.

Tal fato poderia ter sido mais bem aproveitado, mas cai no mesmo clichê de que ficar em casa cuidando dos filhos é uma tarefa menos importante do que qualquer outra.

Vale a pena assistir De Férias da Família?

Com erros e acertos, o filme garante seu lugar na prateleira “besteirol para se distrair” e mostra-se como uma obra mediana de comédia. É bom, relaxa, diverte, mas não surpreende. Vale a pena assistir com expectativas não muito altas.

De Férias da Família está disponível na Netflix.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: