Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    45.275,51
    -1.320,75 (-2,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Crítica | Amigas Para Sempre é sobre encontrar a sua "alma gêmea" de amizade

Natalie Rosa
·4 minuto de leitura

Histórias sobre amizade, companheirismo e romance sempre são muito bem-vindas na literatura. São tramas que emocionam, divertem, colocam questões da vida real em debate e que trazem lições de vida, principalmente para quem se identifica com a personalidade dos personagens e suas trajetórias. Essas histórias, inclusive, são um prato cheio para produtores que buscam criar uma adaptação certeira para o cinema ou para a televisão.

Uma das adaptações mais recentes acaba de estrear na Netflix: a série Amigas Para Sempre. Baseada em um romance homônimo de Kristin Hannah, também conhecido pelo nome original em inglês, Firefly Lane, a produção conta a história de uma amizade entre duas mulheres que começou ainda na adolescência. A partir dali, a trama acontece em épocas diferentes até os tempos atuais, que se passam no início dos anos 2000, com elas na casa dos 40 anos.

<em>Imagem: Divulgação/Netflix</em>
Imagem: Divulgação/Netflix

Atenção: esta crítica contém spoilers da série Amigas Para Sempre!

As amigas, que podem ser a definição perfeita de "almas gêmeas", se conheceram em uma rua chamada Firefly Lane e nunca mais se separaram, mesmo que cada uma delas tenham histórias de vida bem diferentes. Enquanto Kate Mularkey (Sarah Chalke) vivia em uma família vista de fora como tradicional, com pai e mãe casados e um irmão, Tully Hart (Katherine Heigl) vivia com a mãe viciada em drogas e que nunca demonstrou qualquer afeto. Como todo bom drama, os traumas das duas primeiras décadas de vida são carregados por uma vida inteira, justificando as decisões do futuro.

Tully era popular e chamava a atenção, e Kate tinha o estereótipo "nerd" e era alvo certo de bullyng. A diferença entre as duas amigas nunca foi um empecilho para o crescimento da amizade, mas, ao longo dos anos, esse fato começou a ser evidenciado e percebido por Kate quando ambas decidiram seguir o jornalismo como carreira, inclusive trabalhando juntas. As profissões de cada uma delas fazem jus às personalidades. Tully, comunicativa e com medo de demonstrar sentimentos queria ser repórter, âncora e apresentadora. Já Kate, insegura e tímida, ficou na produção.

<em>Imagem: Divulgação/Netflix</em>
Imagem: Divulgação/Netflix

A série mostra uma amizade cultivada ao longo dos anos com base em uma fidelidade na qual muitos relacionamentos amorosos nunca irão chegar, mas que também está vulnerável, claro. As amigas, então, participam de cada momento da vida uma da outra, sempre com muito companheirismo, até que as diferenças começam a ser prejudiciais, com suas ações, finalmente, trazendo consequências. Por passar em diferentes linhas do tempo, tal qual This Is Us, com frequência vemos momentos do futuro que serão explicados mais para frente, funcionando como uma forma de prender o espectador até o fim.

Não é difícil diferenciar essas linhas do tempo, uma vez que a trama utiliza de recursos de pós-produção e maquiagem para isso. Na adolescência, nos anos 1970, elas são interpretadas por atrizes adolescentes. Nessas cenas, é curioso ver que a produção escolheu deixar as imagens da época diferentes, como se realmente tivessem sido filmadas há quase 50 anos, apostando em um tom amarelado constante, até mesmo quando está noite. É como se as gravações fossem sempre feitas durante o pôr-do-sol.

<em>Imagem: Divulgação/Netflix</em>
Imagem: Divulgação/Netflix

Já na década seguinte, Sarah Chalke e Katherine Heigl tomam as rédeas das personagens na casa dos 20 anos até o momento atual, mesmo que na vida real elas tenham mais de 40. Apesar de ser um tratamento de imagem bem feito, fica bastante nítido no rosto delas que algo foi mexido, não só por não aparecerem as marcas normais da idade, como por parecer que elas estão sempre usando um filtro do Instagram. Essa alteração fica mais perceptível quando as atrizes são retratadas com seus rostos normais, com a última linha do tempo se passando na década de 2000. Não que esses detalhes estraguem a experiência, mas é uma abordagem interessante na diferenciação dos períodos.

A série Amigas Para Sempre parece ter sido um bom acerto de adaptação, justificando a presença entre os 10 títulos mais assistidos da Netflix durante o seu lançamento. A série diverte, emociona e traz um sentimento de conforto na maior parte do tempo, mas também traz situações mais pesadas sem qualquer aviso de gatilho, como cenas de estupro e de aborto espontâneo, fazendo com que a trama perca parte de sua leveza.

A trama também traz problemas de amizade que são frutos de uma convivência intensa, uma vez que elas estão juntas na vida pessoal e profissional. Inclusive, a ligação entre as duas funciona em equilíbrio, com Tully sendo mais bem-sucedida na vida profissional e Kate na vida pessoal. No entanto, o foco sempre acaba sendo na parceria acima de qualquer coisa, até os momentos finais em que descobrimos que a amizade acabou e só quem leu os livros já sabe o motivo. Agora, resta esperar se uma possível segunda temporada será fiel à história original para confirmar o acontecido.

<em>Imagem: Divulgação/Netflix</em>
Imagem: Divulgação/Netflix

Amigas Para Sempre está disponível na Netflix em uma temporada.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: