Mercado abrirá em 4 h 55 min
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,91
    +0,16 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.731,90
    -1,70 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    49.816,84
    +1.150,74 (+2,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.000,53
    +12,43 (+1,26%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.613,75
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    29.853,93
    +758,07 (+2,61%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.171,75
    +116,50 (+0,89%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8704
    +0,0083 (+0,12%)
     

CORRREÇÃO-Crédito no Brasil cresceu em 2020 no maior ritmo desde 2012, diz Febraban

·1 minuto de leitura
Crédito no Brasil cresceu em 2020 no maior ritmo desde 2021, diz Febraban

(Corrige título para 2012, não 2021)

SÃO PAULO (Reuters) - Os empréstimos bancários no Brasil cresceram 15,4% em 2020, seu ritmo mais rápido desde 2012, mostrou uma pesquisa da Febraban, divulgada na quinta-feira.

O crescimento foi impulsionado por empréstimos a empresas, que buscaram dinheiro para enfrentar a crise econômica decorrente da pandemia Covid-19.

A carteira de crédito a empresas cresceu 21,7% em 2020, enquanto o crédito a pessoas físicas aumentou 10,8%, apurou a pesquisa da Federação Brasileira de Bancos, que cobriu 68% da carteira de crédito do país.

O crescimento foi impulsionado principalmente por linhas de crédito lançadas pelo governo em resposta à pandemia, disse a Febraban, especialmente para empresas. Os novos desembolsos para empresas vindos de linhas garantidas pelo governo dobraram ante 2019.

Em dezembro, o crescimento da carteira total de crédito foi de 1,5%, oitavo mês consecutivo de crescimento, com as pessoas físicas e jurídicas crescendo no mesmo ritmo.

(Reportagem de Carolina Mandl)

((Edição Redação São Paulo; 55 11 56447764))

REUTERS PAL