Mercado abrirá em 8 h 35 min
  • BOVESPA

    113.583,01
    +300,34 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.598,53
    +492,82 (+0,96%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,10
    +0,65 (+0,86%)
     
  • OURO

    1.749,70
    -2,30 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    42.755,21
    -1.249,73 (-2,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.060,19
    -41,33 (-3,75%)
     
  • S&P500

    4.443,11
    -12,37 (-0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.869,37
    +71,37 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.063,40
    +11,92 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    24.561,75
    +352,97 (+1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.098,66
    -141,40 (-0,47%)
     
  • NASDAQ

    15.151,50
    -43,25 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2931
    -0,0137 (-0,22%)
     

Crédito deve crescer 11,3% em 2021, segundo pesquisa da Febraban

·1 minuto de leitura

Por Paula Arend Laier

(Reuters) - A carteira total de crédito deve crescer 11,3% em 2021, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira pela Febraban, entidade que representa os bancos brasileiros, percentual acima dos 10,3% estimados em levantamento realizado em junho.

A mudança reflete a melhora no prognóstico para a carteira pessoa física com recursos livres, cuja projeção de crescimento passou de 12,6% a 15,6%, segundo a Febraban, em meio ao processo de reabertura da economia e do avanço da vacinação no país.

A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 17 de agosto e reuniu as percepções de 18 bancos.

A projeção para o crescimento da carteira livre subiu de 11,2% para 13,2% e da carteira pessoa jurídica livre, de 10,4% para 10,6%.

"No geral, as estimativas mostram que a oferta de crédito seguirá se expandindo no segundo semestre, reforçando a percepção de recuperação da atividade econômica e a relevância do crédito para este crescimento", afirmou o diretor de Economia, Regulação Prudencial e Riscos da Febraban, Rubens Sardenberg, em nota.

Em relação à inadimplência da carteira livre, a projeção recuou 0,1 ponto percentual, para 3,4%, enquanto a taxa esperada para 2022 também declinou na mesma magnitude, de 3,7% para 3,6% - ambas seguem abaixo do patamar pré-pandemia, de cerca de 4%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos