Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,81
    -0,83 (-1,37%)
     
  • OURO

    1.713,10
    -9,90 (-0,57%)
     
  • BTC-USD

    49.246,81
    +3.024,27 (+6,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    986,45
    +58,22 (+6,27%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.588,53
    +105,10 (+1,62%)
     
  • HANG SENG

    29.728,83
    +276,26 (+0,94%)
     
  • NIKKEI

    29.604,74
    -58,76 (-0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.300,75
    +21,00 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7888
    -0,0068 (-0,10%)
     

CPUs personalizadas podem ser a resposta da Qualcomm contra o Apple M1

Diego Sousa
·1 minuto de leitura

Em janeiro, a Qualcomm anunciou a aquisição da fabricante de CPUs personalizadas Nuvia para levar suas tecnologias aos processadores Snapdragon para "smartphones premium, laptops da próxima geração e outros produtos". Mesmo que a empresa ainda não tenha revelado nenhum planejamento sobre quando eles farão a integração, as expectativas estão bastante altas.

De acordo com jornalistas ouvidos pelo site alemão WinFuture, a aquisição da Nuvia pela Qualcomm deixou claro que a empresa não pretende continuar usando as CPUs desenvolvidas pela ARM por muito tempo, mas sim responder à altura contra o chip da Apple M1 com a adoção de núcleos customizados.

Assim como a Apple, que lançou em 2020 seus primeiros notebooks com arquitetura ARM desenvolvida pela própria empresa, a Nuvia também possui uma licença da arquitetura, o que possibilita a Qualcomm de usar as tecnologias da nova subsidiária para criar suas próprias CPUs personalizadas, abandonando os núcleos Cortex.

Segundo rumores, a fabricante já desenvolve um concorrente do M1 sob o código de modelo Snapdragon SC8280. O chip estaria sendo testado em uma máquina de 14 polegadas e suportaria até 32 GB de RAM e modem 5G, características que o Apple M1 não possui.

(Imagem: Divulgação/Apple)
(Imagem: Divulgação/Apple)

Durante entrevista na Snapdragon Summit Digital 2020, em dezembro passado, o vice-presidente sênior da Divisão Mobile da Qualcomm Alex Katouzian revelou que a empresa prepara "coisas ainda melhores" que o chip M1 para o futuro, mas não especificou o quão longe esse "futuro" estaria.

Fato é que a mudança da Qualcomm para as CPUs ARM customizadas, se confirmada, terá um grande impacto no desempenho de laptops, assim como o Apple M1 representou no final de 2020. Mas a disputa será interessante.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: