Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.740,12
    +347,52 (+0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

CPI vai ouvir líder do governo Bolsonaro na quinta-feira da próxima semana

·1 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 27.07.2021 - O deputado Ricardo Barros (PP-PR). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 27.07.2021 - O deputado Ricardo Barros (PP-PR). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), apresentou nesta quinta-feira (5) o cronograma de depoimentos da próxima semana, entre eles o do líder do governo Jair Bolsonaro na Câmara, o deputado Ricardo Barros (PP-PR).

Barros será ouvido na quinta-feira (12). No início da atual semana, os senadores já haviam aprovado a quebra de sigilos telefônico, telemático, fiscal e bancário do líder do governo.

O deputado é suspeito de envolvimento em irregularidades relativas à compra da vacina indiana Covaxin. Em depoimento à CPI, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) disse que levou as denúncias ao presidente Jair Bolsonaro, que teria respondido que se tratava de um "rolo" de Barros.

Na mesma semana, serão ouvidos na terça-feira (10) um representante do laboratório Vitamedic, que é produtor do medicamento Ivermectina -o requerimento ainda não foi aprovado- e, na quarta-feira (11), Helcio de Almeida, presidente do Instituto Força Brasil.

Almeida, que é coronel do Exército, foi apontado em depoimento como a pessoa que ligou o policial militar Luiz Paulo Dominghetti em contato com o então secretário-executivo da Saúde, Elcio Franco.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos