Para CPFL, racionamento de energia está descartado

O presidente do grupo CPFL Energia, Wilson Ferreira Junior, avaliou, nesta terça-feira, que o risco de um racionamento de energia está fora do radar neste momento. "Não há razão para pânico com apagão", disse, ao chegar ao Ministério da Fazenda, em Brasília. Segundo ele, o temor deve ser colocado de lado, porque o verão começou há pouco tempo e há previsão de chuvas até abril.

De acordo com o executivo, o governo está certo ao promover o uso de térmicas, o que evita a possibilidade de falta de energia no Brasil. Ferreira Junior ressaltou que a capacidade de geração térmica no País é hoje quatro vezes maior que a existente na época do apagão, em 2001.

Ele lembrou que, quando há o uso maior de térmicas, é previsto um aumento de preço das tarifas. No entanto, esse reajuste só deve ocorrer nos aniversários das correções, como é feito usualmente. "Temos de reconhecer que o sistema hoje é mais robusto do que no passado, e o uso de termelétricas era para acontecer mesmo", afirmou.

Carregando...