Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    49.729,91
    +430,38 (+0,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Covid pode apresentar sintomas diferentes em crianças, diz USP

Gabriela Bulhões
·1 minuto de leitura
Covid pode apresentar sintomas diferentes em crianças, diz USP
Covid pode apresentar sintomas diferentes em crianças, diz USP

Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP) ao lado do Instituto Adolfo Lutz descobriram que crianças e adolescentes com Covid-19 podem apresentar sintomas diferentes dos demais, ou seja, distintos dos normalmente causados pela doença, como: febre, tosse e desconforto respiratório.

De acordo com a pesquisa, crianças saudáveis que são infectadas pela covid, podem apresentar lesões inflamatórias extrapulmonares, como miocardite no coração e colite. Essa forma atípica é chamada Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P).

Os resultados foram publicados em artigo na revista EClinicalMedicine, do grupo Lancet. Os pesquisadores realizaram a autópsia de cinco crianças que faleceram em decorrência do vírus em São Paulo, foram um menino e quatro meninas, com idade entre 7 meses e 15 anos.

“É importante que os pediatras atentem para essas possíveis manifestações clínicas diferentes de covid-19 em crianças e adolescentes para que a infecção seja diagnosticada e a SIM-P tratada mais rapidamente”, disse à Agência Fapesp, a pesquisadora Marisa Dolhnikoff, professora USP e coordenadora do projeto.

Leia mais:

As descobertas do estudo evidenciam que as manifestações da SIM-P são desencadeada pela ação direta da covid nas células dos órgãos infectados. Além disso, a SIM-P nas crianças pode acontecer alguns dias ou semanas após a infecção.

“Não estamos dizendo que o que está descrito até agora sobre a síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica está errado, mas acrescentamos a constatação de que a própria lesão causada nos tecidos pelo vírus está relacionada e, muito provavelmente, é um componente importante para a indução dessa resposta inflamatória exagerada em crianças”, disse Dolhnikoff.

Fonte: Agência Brasil

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!