Mercado abrirá em 5 h 28 min
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,04 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.873,60
    +7,10 (+0,38%)
     
  • BTC-USD

    34.640,71
    -21,90 (-0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    685,87
    +5,96 (+0,88%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.920,75
    -41,72 (-0,14%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    +233,60 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    13.367,00
    +72,75 (+0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4177
    +0,0097 (+0,15%)
     

COVID | Hospital Albert Einstein bate recorde de internações; saiba como está SP

Fidel Forato
·2 minuto de leitura

Nos últimos dias, o estado de São Paulo registrou piora nos indicadores do novo coronavírus (SARS-CoV-2) tanto na rede pública de saúde quanto na privada. Nesse cenário, o número de pacientes internados por COVID-19, no hospital Albert Einstein, localizado na capital, é o maior desde o primeiro caso diagnosticado ainda em fevereiro de 2020. Vale lembrar que foi a instituição a identificar e tratar o primeiro paciente brasileiro.

“A curva é crescente, e a situação vai piorar”, apontou o presidente do hospital, Sidney Klajner, para o jornal Folha de São Paulo. “A situação é preocupante. Temos que seguir nos distanciando. Sair, só o estritamente necessário. Refeições em ambientes fechados, por exemplo, nem pensar”, defendeu Klajner. Ainda na capital paulista, alguns hospitais da rede pública e privada já estão com taxa de ocupação acima dos 90%, segundo apuração do G1.

Estado de SP registra aumento nas internações da COVID-19 e deve retroceder no plano de flexibilização (Imagem: Reprodução/ Anna Shvets/ Pexels)
Estado de SP registra aumento nas internações da COVID-19 e deve retroceder no plano de flexibilização (Imagem: Reprodução/ Anna Shvets/ Pexels)

Atualmente, o hospital Albert Einstein conta com 140 pacientes diagnosticados com a COVID-19 em tratamento. Em abril do ano passado, o mês de pico da epidemia da COVID-19 no Brasil, eram 138 pessoas sendo tratadas no Einstein. Em decorrência desse alto volume de internações, o hospital não recebe mais pacientes de outros estados.

Um dos motivos para o aumento de casos, no hospital, foram as festas de fim de ano. Em dezembro, o número de pacientes atendidos pela instituição oscilava entre 108 e 110. Na virada do ano, subiu para 120. Agora, está em 140. Desse total de pacientes, 35% estão em UTI, sendo que 26 dependem de ventilação mecânica.

Reclassificação de SP contra a COVID-19

Com a piora dos dados sobre a COVID-19 em São Paulo, o governo antecipará para esta sexta-feira (15) a reclassificação no plano de flexibilização econômica. Dessa forma, novas medidas devem ser anunciadas para a contenção do contágio do coronavírus em todo o estado. O anúncio foi feito nesta quarta (13). Atualmente, a média móvel de mortes está acima de 200 óbitos há cinco dias.

Segundo as últimas informações divulgadas, o estado de SP registra 13.490 pacientes internados em decorrência da COVID-19 em toda rede hospitalar. Vale comentar que este valor é o maior desde o dia 2 de agosto do ano passado, quando eram contabilizadas 13.775 internados. Essa situação vem pressionando o sistema de saúde e interfere no atendimento de outras doenças.

Na semana passada, o governo paulista já retrocedera no plano de flexibilização de quatro regiões do estado (Sorocaba, Presidente Prudente, Marília e Registro) que foram para fase laranja. Nessa fase, atividades, como salões de beleza, academias e parques, ainda são permitidas. No entanto, o atendimento presencial em bares é proibido, por exemplo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: