Mercado fechará em 1 h 49 min
  • BOVESPA

    108.892,10
    +1.062,38 (+0,99%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.923,14
    -412,37 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,80
    +0,66 (+0,86%)
     
  • OURO

    1.888,00
    +3,20 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    22.941,14
    -46,86 (-0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    528,46
    -8,43 (-1,57%)
     
  • S&P500

    4.124,93
    -39,07 (-0,94%)
     
  • DOW JONES

    33.996,61
    -160,08 (-0,47%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.283,52
    -15,18 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    27.606,46
    -79,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    12.573,25
    -203,50 (-1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6033
    +0,0262 (+0,47%)
     

The Last of Us | Esta mudança da HBO pode criar problemas para futuro da série

A estreia de The Last of Us na HBO foi muito aclamada pelos fãs justamente pela fidelidade e respeito que o episódio inicial teve em relação ao jogo original. Do visual dos personagens e do próprio mundo pós-apocalíptico a diálogos e enquadramentos, tudo está idêntico àquilo que os jogadores já conheciam. Só que isso não quer dizer que a série não tenha mudado algumas coisas — incluindo algumas que podem gerar problemas no futuro.

É o caso do momento em que tudo acontece. Como é mostrado já no primeiro episódio do seriado, a trama foi levemente adequada para que a jornada de Joel (Pedro Pascal) e Ellie (Bella Ramsay) aconteça em 2023, diferente dos games, em que toda a história se passa no futuro, em 2033.

Mudança na data da série vai mexer com uma das cenas mais emocionantes da segunda temporada (Imagem: Divulgação/HBO)
Mudança na data da série vai mexer com uma das cenas mais emocionantes da segunda temporada (Imagem: Divulgação/HBO)

Em tese, é uma alteração bastante pontual que não faz nenhuma diferença para a história — afinal, independente do ano, a realidade segue sendo a mesma: a humanidade está em frangalhos e lutando para sobreviver à praga do cordyceps. No entanto, essa mudança pode ter implicações futuras consideráveis e impactar em momentos muito importantes das próximas temporadas.

Dias futuros

Isso tudo é importante não pelo fato de a história se passar em 2023 ao invés de 2033. Na verdade, o problema que a HBO arranjou para si foi colocar o Outbreak Day — como é chamado o dia em que o fungo se espalhou pelo mundo — em 2003 ao invés de 2013, como acontece no jogo.

Em The Last of Us – Parte II, uma das partes mais tocantes e importantes para a jornada emocional dos personagens acontece quando Joel toca violão para Ellie e canta uma música que ele conhecia antes do mundo acabar. Trata-se de Future Days, da banda Pearl Jam. A canção fala sobre a perda de alguém importante e o que resta diante desse vazio é dá o tom perfeito de toda a história do game.

E por que isso vira um problema para a série da HBO? Porque a canção faz parte do álbum Lightning Bolt, lançado em 2013. Isso quer dizer que, na linha temporal da série, a música nunca foi lançada e Joel não tem como conhecê-la. Como o fungo destruiu o mundo dez anos antes do disco chegar às lojas, tecnicamente, Joel não pode tocar a música para a garota.

Bem, é claro que a série pode adotar uma liberdade poética e inserir a canção mesmo assim — afinal, só quem é realmente fã do Pearl Jam vai perceber a inconsistência no roteiro —, mas pode se preparar para ouvir o coro das reclamações surgindo. Isso porque, mesmo no videogame, muita gente foi cobrar o diretor Neil Druckmann porque o álbum Lightning Bolt foi lançado em outubro de 2013, ou seja, um mês depois do Outbreak Day.

Na época, Druckmann contornou o impasse dizendo que Joel era muito fã da banda e deve ter ouvido a música antes em algum show ou em um evento promocional em uma rádio. É uma saída aceitável, levando em conta a diferença de apenas um mês. Mas e quando estamos falando de dez anos?

A resposta só vamos descobrir quando a segunda temporada de The Last of Us chegar à HBO — o que ainda não tem data. Contudo, já sabemos que o próximo ano da adaptação vai mesmo levar para as telas a trama de Parte II, o que significa que essa canção vai ser importante para ditar o tom e o próprio destino de alguns personagens. Por isso mesmo, trata-se de uma preocupação bastante válida.

Por que mudar?

A HBO teve o cuidado de reproduzir os jogos até nos mínimos detalhes, então por que The Last of Us decidiu alterar um detalhe que faria pouca diferença na adaptação? De acordo com um dos showrunners do seriado, Craig Mazin, a decisão foi tomada para evitar que a história passasse essa imagem de ser algo em um futuro distante.

Segundo showrunner, objetivo era fazer com que o público sentisse que essa história se passa agora (Imagem: Divulgação/HBO)
Segundo showrunner, objetivo era fazer com que o público sentisse que essa história se passa agora (Imagem: Divulgação/HBO)

Em entrevista ao site Insider, Mazin falou que ele próprio não gosta quando está assistindo a algo que se passa a tanto tempo no futuro, pois parece que as coisas são menos reais e isso impacta na conexão com o que está sendo mostrado. Assim, a decisão foi por mexer nas datas para que a trama principal acontecesse em 2023 e que o perigo encarado pelos personagens fosse presente e atual.

Ao mesmo tempo, o showrunner disse que gostou de puxar o Outbreak Day para 2003 para que a série pudesse brincar mais com a estética e a tecnologia do início dos anos 2000. isso fica evidente tanto no uso dos DVDs, dos modelos de celulares que aparecem na época e, em episódios futuros, até mesmo nos fliperamas que vão aparecer — o que já não era mais tão comum de ver em 2013.

The Last of Us estreou no último domingo (15) na HBO Max. A temporada terá nove episódios que vão cobrir todos os eventos do primeiro jogo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: