Mercado fechará em 4 h 22 min

Covid e tensões geopolíticas pesam sobre ações da China

Homem usa máscara de proteção dentro da Bolsa de Valores de Xangai

XANGAI (Reuters) - As ações da China foram negociadas dentro de uma faixa apertada nesta segunda-feira, com o setor de energia sendo parcialmente compensado por perdas nas ações de consumo, já que os surtos domésticos de Covid-19 e as tensões com os Estados Unidos mantiveram a fragilidade do sentimento do mercado.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, fechou com queda de 0,21%, enquanto o índice de Xangai subiu 0,31%.

O índice de Hong Kong Hang Seng, por sua vez, teve queda de 0,77%.

Hainan, uma província insular dependente do turismo, adotou lockdown em mais áreas nesta segunda-feira, ao combater seu pior surto de Covid-19 após registrar muito poucos casos nos últimos dois anos.

As ações de turismo, transporte e produtos básicos de consumo recuaram, com o China Tourism Group Duty Free Corp caindo 4,7%.

O Ministério da Defesa da China defendeu nesta segunda-feira o abandono das negociações militares com os Estados Unidos em protesto contra a visita da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, a Taipé na semana passada, advertindo que Washington deve suportar "sérias conseqüências".

As empresas de energia subiram 2,8%, com as mineradoras de carvão subindo 3,7%.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,26%, a 28.249 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,77%, a 20.045 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,31%, a 3.236 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,21%, a 4.148 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,09%, a 2.493 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,10%, a 15.020 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,36%, a 3.270 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,07%, a 7.020 pontos.