Mercado abrirá em 3 h 25 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,04
    +0,66 (+1,04%)
     
  • OURO

    1.765,70
    -4,90 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    55.249,64
    -1.758,68 (-3,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.246,86
    -52,10 (-4,01%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    6.957,27
    -42,81 (-0,61%)
     
  • HANG SENG

    29.135,73
    +29,58 (+0,10%)
     
  • NIKKEI

    29.100,38
    -584,99 (-1,97%)
     
  • NASDAQ

    13.891,25
    -6,00 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6937
    +0,0180 (+0,27%)
     

Covid avança na Venezuela apesar de baixo registro de casos

Nicolle Yapur e Patricia Laya
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- No último ano, a Venezuela tem sido o enigma do coronavírus. Cercada por países onde a pandemia matou impiedosamente, a Venezuela foi em grande parte poupada. Embora dados do governo não sejam totalmente confiáveis, a Covid, sem dúvida, não teve o mesmo impacto. Até agora.

Os números oficiais permanecem suspeitosamente baixos - uma média de 460 novos casos e cinco mortes por dia em um país de 30 milhões -, mas outros indicadores começam a enviar sinais de alerta. De repente, as UTIs têm listas de espera e clínicas estão abrindo enfermarias improvisadas. Até o presidente Nicolás Maduro disse que há um “enorme aumento” de casos.

“Se o fluxo de pacientes que estamos vendo agora nas salas de emergência continuar, estaremos em uma condição muito mais crítica”, disse o epidemiologista Julio Castro durante um recente webcast. O pico é esperado nas próximas semanas ou duas, acrescentou.

O aumento segue o retorno a Caracas de milhares de banhistas após o feriado de Carnaval de quatro dias em meados de fevereiro.

“Eu chamo isso de ‘cepa do carnaval’”, disse o médico Herman Scholtz, presidente do Centro Médico Docente La Trinidad, no leste de Caracas, que tem 60 pacientes de Covid - a capacidade máxima - em comparação a seis há menos de três semanas.

Um funcionário de um laboratório privado, que não está autorizado a falar e testa alguns pacientes por dia, disse que os casos positivos quase triplicaram na semana passada.

Os casos graves agora representam 30% de todos os detectados, seis vezes o número de novembro, de acordo com o médico Félix Oletta, ex-ministro da Saúde, referindo-se aos dados oficiais. Ele acrescentou que os casos leves ou assintomáticos provavelmente passam despercebidos porque aumentam em ritmo muito mais lento.

O presidente Maduro disse estar preocupado com Caracas durante um discurso nacional no domingo, um dia depois de receber a vacina Sputnik-V da Rússia, e ordenou mais restrições.

A Venezuela relatou um total de 143 mil casos de Covid-19, quase certamente abaixo do número real, mas ainda uma fração dos países vizinhos, como a Colômbia, perto de 2,3 milhões. As vacinações começaram há quase três semanas, embora nenhum dado tenha sido divulgado sobre o número administrado.

O Ministério da Saúde não respondeu a pedidos de comentários.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.