Mercado fechará em 2 h 52 min
  • BOVESPA

    111.513,23
    -2.281,05 (-2,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.608,88
    -583,45 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,92
    -0,69 (-0,95%)
     
  • OURO

    1.752,10
    -4,60 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    47.643,98
    -360,11 (-0,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.209,66
    -15,87 (-1,30%)
     
  • S&P500

    4.440,77
    -32,98 (-0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.610,73
    -140,59 (-0,40%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1966
    +0,0118 (+0,19%)
     

Covid aumenta risco de miocardite bem mais do que vacinação, conclui estudo

·2 minuto de leitura
Adolescente é vacinada contra a covid-19 em 13 de maio em Bloomfield Hills, Michigan (AFP/JEFF KOWALSKY)

O risco de miocardite, uma inflamação do músculo cardíaco, aumenta para os pacientes com Covid-19, aponta um estudo americano divulgado nesta terça-feira, que argumenta fortemente em favor da vacinação.

Foi apontado o risco de desenvolvimento de miocardite após a vacinação com os imunizantes da Pfizer e Moderna, principalmente em crianças e homens jovens. Esse risco, no entanto, é alto após a infecção pela doença em si, assinala o estudo, realizado pelo Centros para a Prevenção e o Controle de Doenças (CDC), que analisou dados de consultas em mais de 900 hospitais.

"A miocardite permanece rara em pacientes com ou sem Covid", diz o relatório do CDC. “No entanto, a Covid-19 é um fator de risco forte e importante para miocardite, e esse risco varia com a idade.”

Os pacientes com Covid examinados entre março de 2020 e janeiro de 2021 tinham em média quase 16 vezes mais chances de desenvolver miocardite do que aqueles que não contraíram o vírus, de acordo com o estudo. O risco foi maior em menores de 16 anos, bem como em maiores de 50.

Entre as crianças, alguns casos identificados de miocardite podem corresponder a uma síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (PIMS ou MIS-C), observa o estudo.

Em 2020, o número de consultas por miocardite nos hospitais estudados foi 42% superior ao de 2019. Os picos correspondem ao número de casos de Covid. Entre as pessoas com Covid e miocardite, a grande maioria foi diagnosticada com ambas as doenças no mesmo mês. O mecanismo exato que pode estar na origem desse vínculo é desconhecido, segundo o CDC.

O estudo não faz diretamente uma comparação com o risco de miocardite após a vacinação. No entanto, o relatório do CDC cita um estudo israelense publicado na semana passada na revista científica NEJM, segundo o qual o risco de desenvolver miocardite após a imunização com uma vacina de RNA mensageiro (a da Pfizer) multiplicou-se por três.

Também segundo o estudo, o risco de miocardite associado a uma infecção por coronavírus se multiplicou por 18, bem mais do que após a vacina, o que leva à conclusão de que o risco-benefício é claramente favorável à vacinação.

la/rle/llu/yow/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos