Mercado abrirá em 7 h 37 min
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,43
    +0,15 (+0,23%)
     
  • OURO

    1.829,90
    -6,20 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    57.397,14
    +2.257,02 (+4,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.555,08
    +1.312,40 (+540,80%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    28.039,54
    +25,73 (+0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.083,85
    -524,74 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    13.250,75
    -95,25 (-0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3322
    -0,0132 (-0,21%)
     

Covid-19: YouTube vai apagar vídeos que recomendam ivermectina e cloroquina

Redação Finanças
·1 minuto de leitura
UKRAINE - 2021/01/05: In this photo illustration, a YouTube logo seen displayed on a smartphone. (Photo Illustration by Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Caso o canal volte a postar conteúdo sobre os medicamentos, ele pode ser excluído (Fotoilustração por Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Canais que recomendarem hidroxicloroquina ou ivermectina para tratamento de covid-19 terão vídeo excluído

  • Caso haja reincidência após a notificação, o canal pode ser removido

  • Companhia segue recomendações de órgãos mundiais de saúde, que não recomendam uso dos medicamentos

Canais que publicarem vídeos com recomendações de ivermectina, hidroxicloroquina ou cloroquina para o tratamento ou prevenção da covid-19 terão o conteúdo excluído e receberão uma notificação. O uso desses medicamentos para prevenir ou tratar a doença não é recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) nem pela Anvisa (Agência Nacional de Saúde). As informações são do G1.

Leia também:

Caso mais um vídeo sobre o assunto seja postado, o dono do canal não poderá publicar conteúdo por uma semana. Se houver reincidência, a conta corre o risco de ser excluída.

As novas diretrizes seguem as orientações das autoridades mundiais de saúde, segundo a companhia, mas não ficou claro se servem também para os materiais antigos, já publicados.

Desde o início da pandemia

Até agora, 850 mil vídeos que violaram as políticas de conteúdo sobre o coronavírus já foram excluídos desde que a pandemia da covid-19 se iniciou.