Mercado abrirá em 8 h 33 min
  • BOVESPA

    98.294,64
    -314,12 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,22
    -533,16 (-1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    99,88
    +0,38 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.766,80
    +2,90 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    20.221,74
    +13,34 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,03
    -2,00 (-0,45%)
     
  • S&P500

    3.831,39
    +6,06 (+0,16%)
     
  • DOW JONES

    30.967,82
    -129,44 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.025,47
    -207,18 (-2,86%)
     
  • HANG SENG

    21.554,32
    -298,75 (-1,37%)
     
  • NIKKEI

    26.132,89
    -290,58 (-1,10%)
     
  • NASDAQ

    11.809,25
    +0,75 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5296
    -0,0001 (-0,00%)
     

Covid-19: vigilância de esgoto pode ajudar a entender transmissão

A vigilância de águas residuais (vulgo esgoto) pode ser uma forma de identificar tendências na transmissão da covid-19, e por sua vez, antecipar possíveis ameaças de ondas da doença. Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), mais de 60 países, incluindo vários nas Américas, estão usando o monitoramento de águas residuais para rastrear o SARS-CoV-2 em comunidades.

A organização ressalta que laboratórios na Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Costa Rica, Colômbia, Equador, México, Peru e Estados Unidos estão entre os que usam o método para monitorar o vírus nas Américas. No último dia 29, inclusive, a Organização Mundial da Saúde (OMS) ofereceu aconselhamento aos países sobre amostragem e testes para detectar o vírus SARS-CoV2 no esgoto.

Segundo Enrique Perez, um dos diretores da OPAS, a amostragem e testes sistemáticos de águas residuais não tratadas podem ser uma forma complementar e não invasiva de monitorar a presença do vírus. No entanto, ainda é importante manter outros métodos de vigilância.

Vigilância de águas residuais pode ajudar a entender transmissão da covid-19 (Imagem: photocreo/Envato)
Vigilância de águas residuais pode ajudar a entender transmissão da covid-19 (Imagem: photocreo/Envato)

Esse método de vigilância de águas residuais já foi aplicado a patógenos como poliovírus ou enterovírus, e usado para testar a presença de bactérias resistentes a antibióticos. Na prática, a técnica envolve testes de PCR para detectar o material genético do vírus nos esgotos, para detectar partículas e, eventualmente, fornecer sinais de alerta sobre o aumento da transmissão em um determinado local.

De acordo com um relatório da Rockefeller Foundation, 38% das agências locais de saúde pública monitoraram as águas residuais na pandemia de covid-19, mas apenas 21% delas planejam continuar, sob o argumento de que é o fator menos influente no gerenciamento de pandemia, pouco considerado na hora de tomar decisões.

Em contrapartida, um relatório governamental dos EUA chegou a apontar que a vigilância de águas residuais tem potencial para ser uma ferramenta primordial para preservar a saúde pública no país em questão, apesar da necessidade de "desenvolvimento adicional", cientificamente falando.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos