Mercado fechado

COVID-19 | Testes com a vacina CoronaVac terminam na sexta, diz governo de SP

Fidel Forato
·2 minutos de leitura

Com milhares de testes em humanos, o mundo se aproxima do fim da corrida por uma vacina segura e eficaz contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2). De acordo com o governador do Estado de São Paulo, João Doria, a terceira e última fase de testes vacina CoronaVac será concluída ainda nesta semana, até sexta-feira (16). O imunizante é a grande aposta para enfrentar a COVID-19 no estado e é desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan.

“Sexta-feira teremos os resultados conclusivos e na próxima segunda-feira [dia 19 de outubro] vai ser apresentado o resultado. Até agora, todos os resultados foram positivos. Nenhuma colateralidade foi apresentada nos 13 mil médicos e enfermeiros que foram testados em sete estados brasileiros”, afirmou o governador, durante coletiva de imprensa, na quarta-feira (14).

Testes de eficácia da vacina CoronaVac contra a COVID-19 devem ser encerrados nesta semana (Imagem: Reprodução/ Governo do Estado de São Paulo)
Testes de eficácia da vacina CoronaVac contra a COVID-19 devem ser encerrados nesta semana (Imagem: Reprodução/ Governo do Estado de São Paulo)

Vacinação contra a COVID-19

Mesmo com o final dos testes da vacina CoronaVac, os pesquisadores precisarão avaliar os dados coletados. Nesta última etapa antes da aprovação, o ensaio clínico, de larga escala, foi realizado com 13 mil brasileiros, para uma avaliação mais definitiva da eficácia e segurança. Além de se investigar efeitos colaterais, a ideia é confirmar o seu efeito de proteção contra o coronavírus.

Com esses resultados positivos dos testes, a vacina contra a COVID-19 ainda precisará receber autorização para uso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De acordo com o coronograma do estado, o início da campanha de imunização começará no dia 15 de dezembro. Entretanto, ainda é incerta a adoção desta vacina em campanhas de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para se obter a imunidade contra a COVID-19, serão necessárias duas doses do imunizante, aplicadas em um intervalo de 14 dias. De acordo com a secretária, os primeiros vacinados serão os profissionais de saúde, com maior risco de exposição. Em seguida, serão os educadores e as pessoas com doenças crônicas. Até o fim de março, a vacinação de toda a população do estado de SP deve ser concluída, apostam as autoridades de saúde.

Esse projeto de vacinação abrangente só será possível por causa de um acordo entre o governo de São Paulo e o laboratório Sinovac. Segundo o documento, o estado receberá 46 milhões de doses da vacina contra a COVID-19 até o final deste ano, sendo que seis milhões de doses serão entregues prontas e as outras 40 milhões serão produzidas pelo Instituto Butantan. Até fevereiro de 2021, mais 14 milhões de doses, totalizando 60 milhões de doses.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: