Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,36
    -0,10 (-0,16%)
     
  • OURO

    1.762,30
    -4,50 (-0,25%)
     
  • BTC-USD

    63.093,29
    -3,58 (-0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.395,65
    +14,70 (+1,06%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    6.983,50
    +43,92 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.878,37
    +85,23 (+0,30%)
     
  • NIKKEI

    29.680,58
    +37,89 (+0,13%)
     
  • NASDAQ

    13.970,75
    -43,25 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7132
    -0,0079 (-0,12%)
     

Covid-19: São Paulo ultrapassa as 600 mortes diárias e governo prevê mais um recorde de óbitos nesta terça (16)

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Unconscious and intubated Covid-19 patients are treated in Vila Penteado Hospital's ICU, in the Brasilandia neighborhood of Sao Paulo, on June 21, 2020. According ta a study published in June 21st, Brazil's public hospitals, like Vila Penteado, had almost 40% death rates from the new coronavirus, the double from private hospitals. Brasilandia is one of the neighborhhods in Sao Paulo with highest number of deaths from Covid-19 (Photo by Gustavo Basso/NurPhoto via Getty Images)
Para se ter ideia do tamanho descontrole da doença, as mortes por coronavírus no estado já equivalem aos óbitos do Brasil no ano passado (Foto: Gustavo Basso/NurPhoto via Getty Images)

O estado de São Paulo ultrapassou as 600 mortes diárias pela Covid-19, doença causada pelo coronavírus, batendo um novo recorde. Nas últimas 24 horas, foram registrados 679 óbitos em decorrência do vírus.

Na última sexta-feira (12), quando o estado registrou até então o pior dia da pandemia, foram 521 mortes. No mês passado, o número ficava abaixo dos 400 óbitos por dia — o que já era considerado descontrolado.

Leia também:

Para se ter ideia do tamanho descontrole da doença, mesmo com o governo João Doria (PSDB) adotando medidas extremas a fim de frear o vírus, as mortes por coronavírus em São Paulo já equivalem aos óbitos do Brasil no ano passado.

Em 20 de agosto de 2020, o país registrou 679 mortes. Ou seja, nas últimas 24 horas em São Paulo, o número de pessoas mortas pela Covid-19 é equivalente ao de todo o país no ano passado.

O coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, João Gabbardo, afirmou nesta terça-feira (16) que o "recorde de óbitos hoje será em alta escala". Pelo Twitter, o médico também fez críticas ao novo ministro da Saúde, o cardiologista Marcelo Queiroga, que se disse contrário ao lockdown.

"Novo ministro assume falando na possibilidade do uso de cloroquina e etc.., descarta lockdown. Hoje, 16/3, quando assumir vai se deparar com os piores números da pandemia. Recorde de óbitos hoje será em alta escala. Sugestão: não se posicione contra o lockdown nacional", escreveu.

De acordo com dados da Saúde estadual, o salto da doença no estado é de 28,2% de uma semana para a outra. A taxa de ocupação hoje de UTIs no estado é de 89%. Na região metropolitana, ela chega a 90%.

Lockdown em São Paulo

O governador Doria afirmou, na segunda (15), que não descarta endurecer ainda mais as restrições no estado para conter o avanço da Covid-19 caso a atual fase emergencial não dê resultados. Segundo ele, a fase mais aguda de restrições seria um lockdown.

"Não hesitaremos em adotar todas as medidas que forem necessárias para proteger a população de São Paulo. A população precisa seguir as orientações dos médicos para se protegerem, ficarem em casa e respeitarem esse período da fase emergencial para que não tenhamos que adotar restrições mais duras se tivermos recrudescimento dos índices de infecção no estado", afirmou.