Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.197,48
    -4.452,38 (-8,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Covid-19 poderia ter matado até 5 milhões de pessoas na Índia

·3 min de leitura

(Bloomberg) -- O número real de mortes na Índia por Covid-19 pode variar entre 1,3 milhão e 5 milhões, sendo que até a estimativa mais conservadora representaria mais que o dobro do total nos Estados Unidos, que registram o maior número de óbitos até agora.

Os números, com base em modelos de pesquisa e dados oficiais da Índia, variam de três a dez vezes a contagem oficial, reforçando evidências de que o verdadeiro impacto do surto no país foi extremamente subestimado.

Com cadáveres flutuando no Ganges, um rio sagrado para milhões de hindus, e crematórios e cemitérios sobrecarregados, cresce o ceticismo em relação ao número de mortos, de cerca de 420 mil registrados pelo governo do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, que usou a taxa de mortalidade aparentemente baixa para defender a resposta à Covid do país.

A Bloomberg contatou autoridades em cerca da metade dos 28 estados e territórios da Índia em busca de dados sobre mortes de abril e maio nos últimos dois anos e analisou números de pesquisadores e especialistas. O resultado é claro: o número real foi muito subestimado por causa de uma combinação de subcontagem, atraso no sistema de registro civil e falta de testes. Com isso, as mortes por Covid foram classificadas com outras causas, como doenças cardíacas.

Os dados vão de encontro às estimativas de pesquisadores do mundo todo. Bhramar Mukherjee, professora da Escola de Saúde Pública da Universidade de Michigan, dedicou grande parte do ano passado a estudar modelos da pandemia na Índia. Seus estudos sugerem que o número de mortos somava de cerca de 1,3 milhão até 15 de junho.

Rukmini S, uma renomada jornalista de dados, escreveu que os números pesquisados por ela sugerem um total de mortos perto de 2,5 milhões.

Um relatório do think tank de Washington Center for Global Development divulgado na terça-feira estudou dados de três fontes diferentes, revelando que o excesso de mortes - um termo que especialistas em saúde pública usam para descrever a mortalidade por todas as causas durante uma crise e que está acima do que seria esperado em condições ‘normais’ - provavelmente variou entre 3,4 milhões e 4,9 milhões.

“Independentemente da fonte e da estimativa, as mortes reais durante a pandemia de Covid provavelmente foram de uma magnitude maior do que a contagem oficial”, disse o relatório, de autoria de Arvind Subramanian, ex-conselheiro-chefe econômico do governo indiano e de dois outros pesquisadores. “As mortes reais são provavelmente da ordem de vários milhões, não centenas de milhares, tornando esta indiscutivelmente a pior tragédia humana da Índia desde a partição e independência.”

O Ministério Federal da Saúde disse em comunicado de 14 de julho que reportagens da mídia sobre os números de mortes mais elevados por Covid são “especulativas”. O ministro da Saúde da Índia, Mansukh Mandaviya, disse ao Parlamento na terça-feira que “diretrizes detalhadas para a divulgação de mortes foram emitidas pelo Ministério da Saúde da União para todos os estados e territórios da união”.

O ministério não respondeu a perguntas por escrito da Bloomberg, mas divulgou um comunicado na quinta-feira dizendo que as informações de altas taxas de mortalidade são errôneas. “Dado o robusto sistema de registro de óbitos baseado em leis na Índia, embora alguns casos possam passar despercebidos de acordo com os princípios das doenças infecciosas e de sua gestão” o não registro de mortes é improvável, disse.

Os estados de Tamil Nadu, Karnataka, Kerala e Odisha combinados têm cerca de 300 mil mortes em excesso nos seis meses até junho, de acordo com os números de mortalidade por todas as causas analisados pela Bloomberg, mais de 5,5 vezes superior do que os dados oficiais de mortalidade por Covid, de cerca de 53 mil.

O número já representa 75% do total oficial de vítimas da Índia, embora correspondam a apenas quatro entre 28 estados e territórios e a 17% dos 1,4 bilhão de habitantes do país.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos