Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.074,43
    -1.501,04 (-1,36%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.780,15
    +105,85 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,15
    -0,38 (-0,83%)
     
  • OURO

    1.779,60
    -8,50 (-0,48%)
     
  • BTC-USD

    19.409,39
    +0,38 (+0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    381,13
    +16,53 (+4,53%)
     
  • S&P500

    3.621,63
    -16,72 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    29.638,64
    -271,73 (-0,91%)
     
  • FTSE

    6.266,19
    -101,39 (-1,59%)
     
  • HANG SENG

    26.341,49
    -553,19 (-2,06%)
     
  • NIKKEI

    26.433,62
    -211,09 (-0,79%)
     
  • NASDAQ

    12.275,75
    +18,25 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3870
    +0,0124 (+0,19%)
     

COVID-19 | Pfizer pedirá uso emergencial para sua vacina ainda em novembro

Nathan Vieira
·2 minuto de leitura

Na última segunda-feira (9), a farmacêutica norte-americana Pfizer e a alemã BioNTech anunciaram que sua candidata a vacina contra a COVID-19 é mais de 90% eficaz na prevenção da infecção, de acordo com os dados iniciais do estudo clínico de fase 3. Já nesta terça (10), o médico Edson Moreira, coordenador dos estudos no Brasil, informou que a farmacêutica deve enviar os dados para registro da vacina ainda em novembro, junto com um pedido para uso emergencial.

Durante entrevista à GloboNews, o médico afirmou: "A Pfizer pretende fazer o pedido de registro até o final desse mês, até a terceira semana. E, diante da gravidade do assunto e da importância de saúde pública, também pedir uma aprovação para uso e distribuição emergencial".

Ele também opinou em relação à recém-anunciada eficácia de 90% da vacina desenvolvida pela Pfizer, alegando que essa taxa superou as expectativas dos desenvolvedores e que os voluntários que tomaram o imunizante tiveram uma produção de anticorpos superior à das pessoas que tiveram COVID-19: "90% de eficácia é extraordinário. Pode parecer pouco, mas, no mundo das vacinas, isso está nas mais altas respostas que poderíamos esperar".

Enquanto isso, o diretor da BioNTech, Ugur Sahin, revelou uma expectativa de que a imunidade gerada pela vacina dure pelo menos um ano. "Devemos ser otimistas de que o efeito da imunização pode durar pelo menos um ano", afirmou. Além disso, as farmacêuticas também informaram que não encontraram nenhuma preocupação séria de segurança e esperam obter autorização de uso emergencial nos EUA ainda neste mês.

Pfizer pedirá uso emergencial para sua vacina ainda em novembro (Imagem: Thirdman/Pexels)
Pfizer pedirá uso emergencial para sua vacina ainda em novembro (Imagem: Thirdman/Pexels)

Quanto à repercussão do anúncio da eficácia da vacina em questão, Bruce Aylward, diretor-geral assistente da Organização Mundial da Saúde (OMS), disse que os resultados foram "muito positivos". Já o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, descreveu a notícia como encorajadora e parabenizou os envolvidos. "Agradecemos as encorajadoras notícias sobre a vacina da Pfizer/BioNTech e também todos os cientistas e parceiros pelo mundo que estão desenvolvendo novas ferramentas seguras e eficazes para vencer a COVID-19. O mundo está experimentando inovações científicas e colaborações sem precedentes para acabar com a pandemia".

O anúncio em questão também despertou a "concorrência". Depois que a eficácia da vacina da Pfizer foi anunciada, Oksana Drapkina, diretora de um instituto de pesquisa do Ministério da Saúde, anunciou que a candidata russa Sputnik V também é mais de 90% eficaz. “Somos responsáveis ​​por monitorar a eficácia da vacina Sputnik V entre os cidadãos que a receberam como parte do programa de vacinação em massa. Com base em nossas observações, sua eficácia também é superior a 90%. O aparecimento de outra vacina eficaz é uma boa notícia para todos”, disse a diretora, durante comunicado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: