Mercado fechado

Covid-19: mudanças de regras da quarentena em SP afetarão 16,7 milhões de pessoas

Cinco regiões terão as classificações retrocedidas, todas elas do interior; enquanto a Grande São Paulo, litoral e Vale do Ribeira irão avançar de fase no Plano São Paulo. (Foto: Getty Editorial)

As mudanças na classificação das regiões do estado de São Paulo nas regras do que abre e fecha na quarentena por conta do novo coronavírus afetarão cerca de 16,7 milhões de cidadãos paulistas. A estimativa foi passada pelo governo João Doria (PSDB) nesta quarta-feira (10).

Seguindo os critérios definidos pelo Plano São Paulo, as regiões da Grande São Paulo, do litoral paulista e do Vale do Ribeira melhoraram os índices e avançarão na flexibilização para reabertura dos comércios. Já outras três regiões do interior: Ribeirão Preto, Presidente Prudente e Barretos, apresentaram piora e irão regredir para uma quarentena de forma mais restrita, com funcionamento apenas das atividades essenciais.

Leia também

As regiões da Grande São Paulo, litoral paulista e Vale do Ribeira sairão da fase 1 (vermelha) e passarão à fase 2 (laranja). Já as áreas de Ribeirão Preto, Presidente Prudente e Barretos recuarão da fase 2 (laranja) e retornarão ao patamar da fase 1 (vermelha). Também regrediram as regiões de Bauru e Araraquara, que sairão da fase 3 (amarela) e voltarão à fase 2 (laranja).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Ao todo, as mudanças afetam 16,7 milhões de habitantes do estado. Cerca de 11,4 milhões residem em regiões que poderão flexibilizar as medidas de isolamento social, enquanto 5,3 milhões de moradores terão as regras da quarentena endurecidas.

MELHORA

  • Grande SP: 9,3 milhões de habitantes

  • Baixada Santista e litoral: 1,8 milhão de habitantes

  • Vale do Ribeira e Registro: 0,3 milhão de habitantes

PIORA

  • Araraquara: 1 milhão de habitantes

  • Barretos: 0,4 milhão de habitantes

  • Bauru: 1,7 milhão de habitantes

  • Presidente Prudente: 0,7 milhão de habitantes

  • Ribeirão Preto: 1,5 milhão de habitantes

A nova reclassificação passará a valer a partir do dia 15, na próxima segunda-feira, e serão mantidas até o dia 28 de junho. Essa nova etapa, chamada por Doria de “nova quarentena”, será, na prática, a aplicação do Plano São Paulo, apresentado pelo governo no mês passado.

São Paulo tem, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, 156.316 casos confirmados de Covid-19 e 9.862 mortes, batendo o recorde de mortes em 24 horas pelo segundo dia seguido: 340 óbitos registrados.

ENTENDA O PLANO SÃO PAULO

O Plano São Paulo, apresentado dia 27 de maio, é dividido em cinco fases, ou etapas, e cada região do estado será classificada em uma delas. O estado será dividido de acordo com as 17 Diretorias Regionais de Saúde - DRS, além da cidade de São Paulo, que será analisada isoladamente:

  • FASE 1 (VERMELHA) - Alerta Máximo:

Funcionam somente os serviços essenciais, a indústria não essencial e construção civil

  • FASE 2 (LARANJA) - Controle:

Funcionam com restrições os setores de atividades imobiliárias; concessionárias; escritórios; comércios em geral; e shoppings centers

Funcionam sem restrições a indústria não essencial e construção civil

  • FASE 3 (AMARELA) - Flexibilização:

Funcionam com restrições os setores de bares, restaurantes e similares; comércios em geral; shoppings centers; salões de beleza

Funcionam sem restrições setores das atividades imobiliárias; concessionárias; e escritórios

  • FASE 4 (VERDE) - Abertura Parcial:

Funcionam com restrições os setores de bares, restaurantes e similares; comércios em geral; shoppings centers; salões de beleza; e academias

Funcionam sem restrições setores das atividades imobiliárias; concessionárias; e escritórios

  • FASE 5 (AZUL) - Normal Controlado:

Todos os setores funcionam, observando protocolos e determinações que serão especificadas pelo estado;

Liberação dos espaços públicos, e funcionamento de teatros, cinemas e eventos que promovam aglomerações, inclusive os esportivos, só serão autorizados nesta fase

OS CRITÉRIOS DO PLANO SÃO PAULO

O cálculo das fases levará em consideração cinco critérios: dois de Saúde (taxa de ocupação de leitos de UTI por infectados pela Covid-19; e número de leitos de UTI para 100 mil habitantes), e outros três critérios de evolução da pandemia (número de casos, número de internações, e número de óbitos).

De acordo com a equipe de governo, cada região do estado será analisada de maneira isolada e, caso cumpram os critérios necessários, terá sua classificação alterada.

A atualização da situação das regiões será feita semanalmente. No entanto, uma região só poderá evoluir para a próxima fase se mantiver os indicadores estáveis por 14 dias. Casos de evolução excepcionais serão avaliadas a parte pelo governo.