Mercado fechado

COVID-19 | Metrô de Hong Kong utiliza robôs para desinfetar estações

Felipe Ribeiro

A pandemia de coronavírus tem alterado a rotina de inúmeras cidades em todos os continentes do planeta. Nas grandes metrópoles, principalmente, o cuidado e a preocupação são ainda maiores, pois, devido ao tamanho da população, pode acontecer a chamada transmissão comunitária — aquela em que o vírus é transmitido internamente, atingindo números alarmantes e de maneira muito rápida. Uma dessas metrópoles, Hong Kong, na China, está adotando medidas bem interessantes e tecnológicas para conter o avanço da COVID-19. A que chamou mais atenção foi a utilização de robôs especiais para a limpeza das estações de metrô, locais sabidamente cheios de pessoas e com aglomerações a todo momento.

O aparelho, que tem forma de uma pequena geladeira, lança uma solução à base de água oxigenada para desinfetar todas as superfícies das estações. Além disso, ele atua mesmo depois de as equipes de limpeza terem feito seu trabalho, pois esse mecanismo que lança o ativo químico consegue penetrar em locais de difícil acesso. Toda essa parafernália, porém, custa bem caro: cada unidade do robô de limpeza sai por módicos US$ 129 mil e o governo local está com 20 desses aparelhos.

A cidade de Hong Kong, por mais que esteja na China, registra uma quantidade relativamente baixa de casos, uma vez que sua população é de 7,5 milhões de habitantes. Até 11 de março, eram 129 confirmados, porém, o número que assusta é que apenas 39 vieram de fora da cidade. Por isso, as autoridades estão tomando essas medidas para conter a transmissão comunitária.

Imagem: MTR

Outras cidades como Nova Iorque, Boston e a área central de Cingapura estão adotando medidas de limpeza mais rigorosas em suas estações de metrô. Aqui no Brasil, o metrô de São Paulo ainda não se manifestou sobre medidas de segurança e limpeza especiais diante do surto de coronavírus.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: