Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.308,67
    +2.177,62 (+3,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Covid-19: Médico é espancado após defender lockdown no Paraná

·2 minuto de leitura
Médico é agredido depois de defender lockdown em Toledo, no Paraná - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Médico é agredido depois de defender lockdown em Toledo, no Paraná - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Um infectologista foi vítima de agressão por defender o lockdown, uma das medidas mais rígidas de circulação contra a propagação do novo coronavírus, no estado do Paraná. Em uma rede social, José Eduardo Panini contou ter levado chutes e socos depois de alertar para a importância da medida para conter o número de mortes.

No post, publicado nessa segunda-feira (01), o médico diz que a agressão aconteceu no último dia 26. Ele estaria contando os riscos de infecção pelo vírus em caso se não haver isolamento, quando dois conhecidos o teriam espancado. Um segurou o infectologista e o outro desferiu os golpes. 

Leia também

"Ao alertar os riscos a pessoas conhecidas, a resposta que me foi dada foram chutes e socos, enquanto um me segurava o outro me agredia. Enfim, pessoas assim que ajudaram a situação chegar onde está", escreveu o médico em sua conta do Instagram. Junto ao relato, Panini publicou uma foto onde é possível ver claramente seu rosto machucado. 

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Mesmo após as agressões, o médico ressaltou a importante do isolamento social para conter a pandemia que vem dizimando o país nos últimos dias. Há mais de um mês o Brasil registra uma média móvel de óbitos por Covid-19 acima dos mil óbitos, de acordo com o consórcio de imprensa que compila os números da pandemia junto às secretarias de Saúde. 

"Baseado nos números não há mais nada a fazer, senão as coisas só piorarão", projetou o médico que trabalha no sistema público de saúde de Toledo (PR). Panini ainda garantiu que não desanimará e desejou força aos seus companheiros de saúde. 

Prefeitura de Toledo repudia

Em nota, a prefeitura de Toledo repudiou as ações contra o médico, que é servidor público do município. As agressões, no entanto, aconteceram fora do ambiente de trabalho de Panini. 

"Entendemos que toda a agressão é injustificável e inaceitável", diz trecho da nota, que ressalta também que a gestão municipal está à disposição do médico para "todo o suporte que for necessário". 

O Centro Acadêmico de Medicina de Toledo, da Universidade Federal do Paraná (UFPR) também se solidarizou com o infectologista agredido.

"Estamos extremamente indignados com a situação, visto que o trabalho do Dr. José Eduardo e dos demais médicos é de orientar a melhor forma para enfrentarmos a pandemia, baseados em evidências científicas e boletins epidemiológicos".