Mercado abrirá em 4 h 25 min
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,85
    +1,28 (+1,17%)
     
  • OURO

    1.829,70
    +4,90 (+0,27%)
     
  • BTC-USD

    20.880,91
    -491,27 (-2,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,29
    -6,50 (-1,41%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.332,92
    +74,60 (+1,03%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.097,00
    +56,50 (+0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5345
    -0,0096 (-0,17%)
     

Covid-19 já ultrapassa mais de 70% dos casos de SRAG no Brasil

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Na última terça-feira (21), a Fiocruz revelou — através do Boletim InfoGripe — que os casos de covid-19 já correspondem a 71,2% das ocorrências de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Brasil. O relatório aponta que, só neste ano, 27.302 mortes por SRAG foram registradas no país.

No público até os 4 anos de idade, o relatório destaca o predomínio do vírus sincicial respiratório (VSR), seguido de SARS-CoV-2 (Covid-19), rinovírus e metapneumovírus. Nas demais faixas etárias, o SARS-CoV-2 é predominante entre os casos com identificação laboratorial. A situação das quatro últimas semanas epidemiológicas consiste na prevalência de:

  • 3,5% para influenza A

  • 0,3% para influenza B

  • 12,7% para vírus sincicial respiratório

  • 71,2% para SARS-CoV-2

O boletim acrescenta que, nesse mesmo período, a prevalência entre mortes por vírus respiratórios foi de:

  • 2,6% para influenza A

  • 0% para influenza B

  • 2,3% para vírus sincicial respiratório (VSR)

  • 91,9% para Sars-CoV-2

Das 27.302 já mencionadas mortes por SRAG, 20.890 (76,5%) tiveram resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório, 5.074 (18,6%) negativos e ao menos 561 (2,1%) aguardando resultado laboratorial. Desse total, 3,6% são de influenza A, 0,1% de influenza B, 0,7% de vírus sincicial respiratório (VSR) e 96,4% de SARS-CoV-2.

Covid-19 já ultrapassa mais de 70% dos casos de SRAG, segundo boletim da Fiocruz (Imagem: Alex Motoc/Unsplash)
Covid-19 já ultrapassa mais de 70% dos casos de SRAG, segundo boletim da Fiocruz (Imagem: Alex Motoc/Unsplash)

Curva nacional da SRAG

A Fiocruz anunciou que a curva nacional mantém sinal de crescimento nas tendências de longo (últimas seis semanas) e curto prazo (últimas três semanas). Com isso, as unidades federativas que apresentam indícios de crescimento na tendência de longo prazo da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) são:

  • Acre

  • Alagoas

  • Amazonas

  • Ceará

  • Distrito Federal

  • Goiás

  • Mato Grosso

  • Minas Gerais

  • Pará

  • Paraíba

  • Paraná

  • Rio Grande do Norte

  • Rio Grande do Sul

  • Rio de Janeiro

  • Rondônia

  • Santa Catarina

  • São Paulo

As demais unidades federativas apresentam sinal de estabilidade ou queda na tendência de longo prazo. No entanto, a instituição destaca que o Rio Grande do Sul também se depara com aumento nos casos positivos para influenza (gripe) em diversas faixas etárias.

No último mês de maio, o Ministério da Saúde definiu nesta segunda-feira (16), que a covid-19 e algumas complicações da infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2 passam a integrar a lista de doenças com notificação compulsória no Brasil. Além disso, foi incluída a infecção do SARS-CoV-2 como causa da SRAG.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos