Mercado abrirá em 7 h 34 min
  • BOVESPA

    118.328,99
    -1.317,01 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.810,21
    -315,49 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,46
    -0,67 (-1,26%)
     
  • OURO

    1.861,90
    -4,00 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    31.203,80
    +636,09 (+2,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    618,25
    -61,66 (-9,07%)
     
  • S&P500

    3.853,07
    +1,22 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    31.176,01
    -12,39 (-0,04%)
     
  • FTSE

    6.715,42
    -24,97 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    29.480,11
    -447,65 (-1,50%)
     
  • NIKKEI

    28.637,96
    -118,90 (-0,41%)
     
  • NASDAQ

    13.349,25
    -46,25 (-0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5142
    +0,0058 (+0,09%)
     

COVID-19 | Governo de SP vai manter escolas abertas mesmo na fase vermelha

Nathan Vieira
·3 minuto de leitura

A pandemia de COVID-19 trouxe diversos impactos para a área da educação, e a reabertura das escolas e das universidades tem sido alvo de muita análise, com anúncio de datas e de adiamento. No entanto, nesta quinta (17), o Estado de São Paulo foi surpreendido por um anúncio do Governador João Doria: o retorno gradual às aulas presenciais para o ano letivo de 2021. O decreto autoriza a retomada das aulas em todas as fases do Plano São Paulo. Sabe o que isso significa? Que as escolas públicas e particulares poderão continuar abertas mesmo se estiver na pior fase da pandemia, a vermelha.

“A decisão para manter escolas abertas é embasada em experiências internacionais e nacionais e tem como objetivo garantir a segurança dos alunos, dos professores e dos funcionários da rede pública e privada de ensino, além do desenvolvimento cognitivo e socioemocional de milhões de crianças e adolescentes do Estado de São Paulo”, afirmou o Governador.

Segundo os Departamentos Regionais da Saúde, essa reabertura das escolas vai acontecer de forma regionalizada. “A escola não pode mais fechar. Neste momento de pandemia, as famílias precisam entender sobre o quanto é cada vez mais fundamental e importante ter os seus filhos frequentando a escola. Para continuarem a aprendizagem e serem acolhidos em vários aspectos. Principalmente, emocionalmente”, defende o Secretário da Educação de São Paulo, Rossieli Soares.

Fase vermelha

Nas fases vermelha ou laranja do Plano São Paulo, as escolas poderão receber diariamente até 35% dos alunos matriculados (Imagem: Gerd Altmann / Pixabay)
Nas fases vermelha ou laranja do Plano São Paulo, as escolas poderão receber diariamente até 35% dos alunos matriculados (Imagem: Gerd Altmann / Pixabay)

O Governo de São Paulo tem uma estratégia para retomar com segurança a economia do estado durante a pandemia, chamada Plano São Paulo. O desdobramento é o seguinte: cada região pode reabrir determinados setores de acordo com a fase (que vai de azul a verde, amarela, laranja e vermelha) em que se encontra. As regras envolvem a média da taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivas para pacientes com coronavírus, número de novas internações no mesmo período e o número de óbitos.

No caso da reabertura anunciada nesta quinta, se uma área estiver nas fases vermelha ou laranja, as escolas da educação básica, que atendem alunos da educação infantil até o ensino médio, poderão receber diariamente até 35% dos alunos matriculados. Enquanto isso, na fase amarela, elas ficam autorizadas a atender até 70% dos estudantes; e na fase verde, até 100%. Os protocolos sanitários devem ser cumpridos em todas as fases.

No que diz respeito às instituições de ensino superior: poderão funcionar na fase amarela com até 35% das matrículas, e na fase verde, com até 70%. Nas etapas vermelha e laranja, elas não estão autorizadas a funcionar. No entanto, cursos superiores específicos da área médica têm o retorno presencial autorizado em todas as fases do Plano.

O Governo anunciou que as instituições de ensino de todas as redes deverão aderir e alimentar o Sistema de Monitoramento da Secretaria de Educação para que a abertura das unidades seja autorizada. A medida garante monitoramento centralizado da retomada da educação, para que a abertura de escolas ocorra de forma segura e responsável, e que o último dia do ano letivo deste ano será no dia 23 de dezembro e as aulas nas escolas estaduais, em 2021, terão início no dia 1º de fevereiro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: