Mercado abrirá em 2 h 39 min
  • BOVESPA

    130.207,96
    +766,93 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.029,54
    -256,92 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,30
    +0,42 (+0,59%)
     
  • OURO

    1.867,30
    +1,40 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    40.074,77
    +828,89 (+2,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.004,24
    +35,40 (+3,65%)
     
  • S&P500

    4.255,15
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.393,75
    -85,85 (-0,25%)
     
  • FTSE

    7.161,98
    +15,30 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    28.638,53
    -203,60 (-0,71%)
     
  • NIKKEI

    29.441,30
    +279,50 (+0,96%)
     
  • NASDAQ

    14.131,25
    +6,50 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1346
    +0,0031 (+0,05%)
     

Covid-19: faixa etária em UTIs de Niterói cai, e cresce número de jovens internados

·2 minuto de leitura

NITERÓI — Com o plano de imunização contra a Covid-19 em andamento, idosos deixaram de figurar entre as principais vítimas da pandemia. Hoje, as vagas de enfermaria e de UTI nas redes de saúde pública e privada da cidade estão quase exclusivamente ocupadas por pessoas com menos de 60 anos.

Na UTI destinada à Covid-19 do Niterói D’Or, a faixa etária média dos internados caiu de 66 para 55 anos, no comparativo entre 2020 — quando a vacinação ainda não tinha começado — e 2021. É o que explica o diretor médico da unidade, Luiz Abelardo.

— Conforme a vacinação foi evoluindo, a média de idade dos internados foi caindo. Mas também estamos internando gente bem jovem: estou com um paciente de 39 anos em estado muito grave — alerta.

Obesidade

No Complexo Hospitalar de Niterói (CHN), a situação é parecida: atualmente, mais de um terço dos que precisam de internação em leitos para Covid têm entre 45 e 60 anos, diz o diretor médico do CHN, Paulo César Dias.

— Hoje, a idade média dos internados é de 58 anos, mas já foi de 70. O percentual de pacientes com comorbidades que se internam em quartos, em geral os mais jovens, é de 30%. Entre os que vão para a terapia intensiva, geralmente mais velhos, é de 80%. Então, a comorbidade, como sempre foi, ainda é um determinante para a gravidade do quadro do paciente infectado — detalha.

Dentre os fatores de risco, a obesidade é a que mais resulta em casos graves, pontua Dias:

— Diabetes, hipertensão, doenças pulmonares e cardiopatias são condições que podem agravar a doença, mas o sobrepeso ainda é o que mais preocupa.

Dados do Niterói D’Or mostram que a obesidade como fator preponderante para o agravamento de casos não é fenômeno exclusivo do CHN. Segundo Luiz Abelardo, há poucas semanas o hospital tinha três jovens com menos de 25 anos intubados e internados em UTI, todos obesos. Eles se recuperaram, mas a intubação por si só mostra o alto poder de gravidade da doença mesmo numa população muito jovem, conclui ele.

— É importante que a população de conscientize de que é essencial controlar o peso para evitar complicações com a Covid. A redução da gordura, por si só, já reduz a força de outras comorbidades como diabetes e hipertensão. E a obesidade é uma doença inflamatória, o que sobrecarrega o organismo e limita a sua reação — diz.

Rede municipal

No Hospital Municipal Oceânico, o índice de pacientes internados com mais de 80 anos caiu de 14% em 2020 para 7,5% em abril deste ano, afirma o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira:

— Os números mostram a efetividade da vacina. Analisando todo o período da epidemia, o que temos de novo é a diminuição da internação dos idosos nas faixas etárias vacinadas. Niterói sempre defendeu a vacina e espera que o Ministério da Saúde amplie a distribuição de doses para que possamos imunizar mais pessoas.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)