Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    47.810,83
    -8.763,60 (-15,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Covid-19 | Estudo comprova que o coronavírus pode infectar as células do ouvido

·2 min de leitura

São diversos os sintomas que a covid-19 pode apresentar, entre eles algumas consequências aos ouvidos, como zumbidos, perda de audição, tonturas e perda de equilíbrio. Agora, um novo estudo realizado pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) encontrou evidências de que o vírus pode, de fato, infectar as células do ouvido, incluindo as células ciliadas, o que pode causar todas essas reações.

Os cientistas descobriram ainda que o padrão de infecção encontrado no tecido do ouvido interno é semelhante aos sintomas observados em um estudo, realizado com dados de 10 pacientes que tiveram a covid-19 e relataram problemas no sistema auditivo. Lee Gehrke, professor do MIT e um dos líderes do estudo, conta que a descoberta, agora, abre caminho para investigar não só o SARS-CoV-2, mas como outros vírus afetam a audição.

<em>Imagem: Divulgação/Freepik</em>
Imagem: Divulgação/Freepik

Antes mesmo da pandemia, Gehrke deu início a um projeto para desenvolver modelos celulares para estudar infecções no ouvido humano, geralmente afetado por vírus como o da caxumba e o da hepatite, que podem causar surdez. Então, com o surgimento deste novo coronavírus, os cientistas começaram a observar os sintomas que a doença provocava ao ouvido.

Com isso, o projeto foi usado como base para criar modelos usando células da pele humana e as transformando em células-tronco pluripotentes induzidas. Na sequência, eles as estimularam a se diferenciarem em todos os tipos de células encontradas nos ouvidos, como as ciliadas, as de suporte, de Schwann, que isolam os neurônios, e fibras nervosas.

Os pesquisadores descobriram, então, que os tipos de células cultivadas expressaram as proteínas necessárias para a entrada do SARS-CoV-2. Sendo assim, o coronavírus é capaz de infectar o ouvido, principalmente as células ciliadas, que atuam na detecção do movimento da cabeça e na manutenção do equilíbrio. De acordo com os cientistas, o padrão de infecção encontrado nas amostras de tecido correspondem aos sintomas observados no grupo de pacientes estudado, no qual nove deles relataram zumbidos, seis informaram sentir vertigem, e todos relataram perda de audição leve a profunda.

<em>Imagem: Reprodução/Fusion Medical Animation/Unsplash</em>
Imagem: Reprodução/Fusion Medical Animation/Unsplash

Segundo o estudo, o vírus pode entrar no ouvido através da trompa de Eustáquio, que conecta o nariz ao ouvido médio, ou ainda por meio de pequenas aberturas ao redor dos nervos olfativos do nariz. Assim, ele entra na região do cérebro e infecta os nervos cranianos, como aquele que se conecta ao ouvido interno.

Ainda que os estudos tragam a relação entre a covid-19 e problemas auditivos, ainda não há estimativas de incidência claras que indiquem qual é o percentual de pacientes afetados por esse tipo de reação.

Você pode conferir o estudo completo neste link.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos