Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.792,30
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.752,13
    +785,72 (+2,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

Covid-19: China lança campanha de testagem em massa em cidade de 14 milhões de habitantes

·1 min de leitura
Tianjin, uma grande cidade portuária a cerca de 150 km ao sudeste de Pequim, se transformou em nova área de preocupação para as autoridades sanitárias depois de detectar mais de 20 casos de covid-19 (AFP/STR) (STR)

A cidade de Tianjin, no norte da China, recomendou neste domingo (9) aos seus 14 milhões de habitantes que permaneçam em casa, enquanto realiza testes de covid em massa após detectar vários casos, alguns deles da variante ômicron, informou a imprensa estatal.

Tianjin, uma grande cidade portuária cerca de 150 km ao sudeste de Pequim, se tornou uma nova área de preocupação para as autoridades sanitárias depois de registrar mais de 20 casos de covid-19 nesses últimos dias, a maioria importados do exterior, segundo a comissão nacional de saúde.

Há pelo menos dois casos da variante ômicron e 15 infecções em escolas, segundo a mídia estatal.

Tianjin lançou uma campanha de testes em massa neste domingo e pediu aos moradores para ficarem em casa ou perto de casa para facilitar os testes de detecção.

As autoridades chinesas já enfrentaram um surto maior na cidade de Xi'an, no noroeste.

As medidas draconianas de tolerância zero aplicadas pelo gigante asiático contra o coronavírus, entre elas confinamentos estritos e testes em massa imediatos, geraram críticas.

Segundo dados oficiais, desde o início da pandemia a China registrou apenas 100.000 casos e 4.636 mortes.

dma/jfx/mlb/ial/es/me/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos