Mercado fechado

Covid-19: Brasil tem 55.961 mortes e 1.274.974 casos confirmados, dizem secretarias de Saúde

Casa em Belo Horizonte passa por processo de sanitização contra o avanço do coronavírus (DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)

O número de casos do novo coronavírus no Brasil subiu para 1.274.974 e o total de mortes chega a 55.961. Os dados, divulgados na noite desta sexta-feira (26), constam no painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo.

Nas últimas 24 horas, foram registrados mais 46.860 casos novos - segunda maior marca diária já registrada até o momento - e 990 óbitos, segundo os dados divulgados pelo Conass. Na quinta-feira (25), o país tinha 54.971 mortes e 1.228.114 casos confirmados de Covid-19, de acordo com o conselho.

Leia também

O número de casos confirmados apenas nesta sexta pode ser considerado um novo recorde, já que o atual recorde de casos, 54.771 do dia 20 de junho, conta com números de três dias seguidos por causa de problemas nas ferramentas do Ministério da Saúde.

Prezando pela confiabilidade nas informações, o Yahoo Brasil passou a adotar como padrão, desde segunda-feira (8), os dados estatísticos divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde através do Conass, e não mais os números apresentados pelo Ministério da Saúde.

Os dados do Conass também viraram referência para o Congresso Nacional, que abandonou a contagem do Ministério da Saúde. A decisão foi anunciada na segunda-feira pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

DADOS CONSOLIDADOS RETORNAM

Na terça, o governo do presidente Jair Bolsonaro voltou a divulgar os dados acumulados de casos confirmados e óbitos no site oficial disponibilizado pelo Ministério da Saúde, que haviam sido omitidos da plataforma na quinta-feira (4).

O recuo acontece após a determinação para retomada da divulgação, decidida pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes, na noite de segunda-feira (8), ao acatar um pedido protocolado pelos partidos Rede, PSOL e PC do B.

Mais cedo nesta terça, o ministro-interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, voltou a negar que a pasta esteja escondendo dados da Covid-19, e reiterou que os dados retirados seriam recolocados no portal, durante reunião da comissão externa da Câmara dos Deputados que acompanha as ações de combate à pandemia da Covid-19.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.