Mercado fechado

Covid-19: Brasil tem 138.977 mortes e 4.624.885 casos confirmados, dizem secretarias de Saúde

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Students wearing a mask to curb the spread of the new coronavirus attend class as others attend remotely at a private school in Brasilia, Brazil, Monday, Sept. 21, 2020. Private schools, closed since the second half of March due to the COVID-19 pandemic, have reopened their doors. Returning to school is optional and online classes continue for students who choose to stay at home watching classes via remote education. (AP Photo/Eraldo Peres)
Students wearing a mask to curb the spread of the new coronavirus attend class as others attend remotely at a private school in Brasilia, Brazil, Monday, Sept. 21, 2020. Private schools, closed since the second half of March due to the COVID-19 pandemic, have reopened their doors. Returning to school is optional and online classes continue for students who choose to stay at home watching classes via remote education. (AP Photo/Eraldo Peres)

O número de casos do novo coronavírus no Brasil subiu para 4.624.885 e o total de mortes chega a 138.977. Os dados, divulgados na noite desta quarta (23), constam no painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo.

Nas últimas 24 horas, foram registrados mais 33.536 casos novos e também foram constatados mais 836 óbitos no período, segundo os dados divulgados pelo Conass. Na terça (22), o país tinha 138.977 mortes e 4.591.604 casos confirmados de Covid-19, de acordo com o conselho.

Prezando pela confiabilidade nas informações, o Yahoo Brasil passou a adotar como padrão, desde 8 de junho, os dados estatísticos divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde através do Conass, e não mais os números apresentados pelo Ministério da Saúde.

Os dados do Conass também viraram referência para o Congresso Nacional, que abandonou a contagem do Ministério da Saúde.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube