Mercado abrirá em 1 h 42 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,75
    +0,70 (+1,08%)
     
  • OURO

    1.700,50
    +22,50 (+1,34%)
     
  • BTC-USD

    54.184,03
    +4.200,61 (+8,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.093,95
    +69,74 (+6,81%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.756,97
    +37,84 (+0,56%)
     
  • HANG SENG

    28.773,23
    +232,40 (+0,81%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.562,50
    +265,25 (+2,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9947
    +0,0349 (+0,50%)
     

Covid-19: Brasil registra 1.351 mortes em 24 horas

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Municipal health workers and environmental military police officer leave the Sustainable Development Reserve of Tupe after administering the AstraZeneca/Oxford vaccine in the Negro river banks in Manaus, Brazil, February 9, 2021. Picture taken February 9, 2021. REUTERS/Bruno Kelly
Municipal health workers and environmental military police officer leave the Sustainable Development Reserve of Tupe after administering the AstraZeneca/Oxford vaccine in the Negro river banks in Manaus, Brazil, February 9, 2021. Picture taken February 9, 2021. REUTERS/Bruno Kelly

O Brasil registrou 1.351 novas mortes pelo novo coronavírus e 54.742 casos da doença nesta quinta (11). Com isso, o total de mortos chegou a 236.201 e o de casos a 9.713.909, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo.

Na quarta (10), o país tinha 234.850 mortes e 9.659.167 casos confirmados de Covid-19, de acordo com o conselho.

Prezando pela confiabilidade nas informações, o Yahoo Brasil passou a adotar como padrão, desde 8 de junho, os dados estatísticos divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde através do Conass, e não mais os números apresentados pelo Ministério da Saúde.

Os dados do Conass também viraram referência para o Congresso Nacional, que abandonou a contagem do Ministério da Saúde. A decisão foi anunciada pelo então presidente do Senado, Davi Alcolumbre, no início de junho de 2020.