Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    48.653,36
    +514,07 (+1,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Covid-19: após suspensão da primeira dose no Rio, Ministério da Saúde promete entrega de vacinas neste domingo

·1 minuto de leitura

RIO — A Prefeitura do Rio anunciou, na tarde desta sexta-feira, dia 23, que suspendeu a vacinação de primeira dose por faltas de vacinas contra a Covid-19. Apos o anúncio do secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, Rosana Leite de Melo, secretária extraordinária de enfrentamento à Covid do Ministério Saúde, negou ao GLOBO que haja atrasos na distribuição de doses aos estados. Ela prometeu a distribuição para todo o país, ainda neste domingo, de duas milhões de doses das vacinas AstraZeneca e Coronavac. Segundo a médica, as doses dos imunizantes estão passando pelo processo de avaliação que sempre acontece — que, no caso das produzidas pela Pfizer, pode demorar até cinco dias, e da Astrazeneca e Butantan, até 24 horas.

Questionada sobre o não envio de dois milhões de imunizantes recebidas pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (Coronavac e AstraZeneca), a secretária primeiramente disse que iria checar com a equipe técnica sobre a situação das vacinas. Após o contato, confirmou a entrega para este sábado, dia 24. Há também a previsão de distribuição das doses na segunda-feira, dia 26, de vacinas recebidas pelo Ministério nesta sexta-feira:

— Não temos vacinas paradas. Essa semana nos reunimos e analisamos toda a pauta. Por uma questão de equidade entre os estados, estudaremos uma nova modelagem de distribuição e porcentagens para as federações. A Pfizer, devido à temperatura e importação, passa por outro processo que demora, até a distribuição, de quatro a cinco dias.

O GLOBO apurou que parte do atraso da distribuição das vacinas se deve à troca em setores de distribuição após a saída da antiga coordenadora do Plano Nacional de Imunização Francieli Fantinato. A atual responsável pela pasta negou que as mudanças tenham impactado na distribuição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos