Mercado abrirá em 1 h 42 min
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,52
    +0,13 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.826,50
    +21,90 (+1,21%)
     
  • BTC-USD

    40.255,31
    -16,24 (-0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    943,59
    +13,66 (+1,47%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.083,21
    +66,58 (+0,95%)
     
  • HANG SENG

    26.315,32
    +841,44 (+3,30%)
     
  • NIKKEI

    27.782,42
    +200,76 (+0,73%)
     
  • NASDAQ

    14.984,00
    -27,50 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0810
    +0,0225 (+0,37%)
     

Covax pede tratamento de igualdade para todas as vacinas homologadas pela OMS

·2 minuto de leitura
Funcionária do ministério da Saúde comprova os documentos de um contêiner com o primeiro envio de doses da vacina contra o coronavórus da AstraZeneca/Oxford, no aeroporto internacional de Noi Bai, Vietnã

As autoridades de todo o mundo devem considerar totalmente vacinada qualquer pessoa que tenha sido inoculada com soros aprovados pela OMS e os principais órgãos de saúde, especialmente para viagens ou reuniões, considerou nesta quinta-feira (1º) o sistema Covax.

Esta posição coincide com a entrada em vigor, nesta quinta-feira, do passe sanitário nos 27 países da UE, mais Suíça, Liechtenstein, Islândia e Noruega.

Porém, em decisão criticada por muitos países, principalmente africanos, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) não reconhece a vacina AstraZeneca (Covishield) fabricada na Índia, o que garantiria o direito de acesso a esses países. A EMA estima que existem possíveis "diferenças" na sua fabricação.

Para os parceiros do mecanismo Covax, qualquer medida que exclua pessoas protegidas com alguma das vacinas aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de certo benefício, "criaria um sistema de duas velocidades, o que aumentaria ainda mais a lacuna entre as vacinas e agravaria as desigualdades que já foram observadas na distribuição dos imunizantes contra a covid".

"Isso impactaria negativamente o crescimento das economias que mais sofreram" até agora, insiste o programa Covax, uma parceria entre a OMS, a Aliança das Vacinas (Gavi) e a Coalizão para Inovações em Preparação para Epidemias (Cepi).

E, além disso, o grupo considera que isso abala ainda mais a já frágil confiança na vacinação, principalmente com a AstraZeneca.

O sistema Covax tem se apoiado principalmente na vacina AstraZeneca fabricada pelo Serum Institute of India, que não é reconhecida pela EMA.

Mais de 91 milhões de doses foram distribuídas em 133 países, bem abaixo das previsões, já que a Índia bloqueou sua exportação para inocular sua própria população como prioridade.

No que diz respeito à UE, os países são obrigados a aceitar em seu território os viajantes vacinados com as quatro vacinas autorizadas no bloco: Pfizer/BioNTech, Moderna, AstraZeneca e Johnson & Johnson.

No entanto, os Estados-membros podem, mas não são obrigados, a admitir pessoas vacinadas com produtos autorizados em alguns países da UE (como a Sputnik V russa usada pela Hungria), ou aprovados pela OMS (como a chinesa Sinopharm e a Covishield, amplamente utilizada na África).

A OMS concedeu a aprovação de emergência para as vacinas anticovid Sinovac, Sinopharm, Moderna, Pfizer-BioNTech, os dois soros AstraZeneca, fabricados na Índia e na Coreia do Sul (a OMS considera isso para duas aprovações embora o produto seja idêntico) e Johnson & Johnson (Janssen).

vog/at/age/eg/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos