Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.781,90
    -23,60 (-1,31%)
     
  • BTC-USD

    17.060,19
    +335,39 (+2,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

Covas vai dar auxílio de R$ 100 para inscritos no Bolsa Família e camelôs em SP

ANA PAULA BRANCO
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* São Paulo, SP, BRASIL, 02-11-2020 - Prefeito Bruno Covas (PSDB). (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
*ARQUIVO* São Paulo, SP, BRASIL, 02-11-2020 - Prefeito Bruno Covas (PSDB). (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, vai conceder um auxílio de R$ 100 para inscritos no Bolsa família até 30 de setembro de 2020 e camelôs com Termo de Permissão de Uso em vigor por causa da pandemia da Covid-19. O benefício será pago durante três meses para o responsável no cadastro do programa assistencial.

De acordo com a portaria publicada nesta quinta (12) no "Diário Oficial da Cidade de São Paulo", se o estado de calamidade pública for ampliado para além de 31 de dezembro de 2020, o pagamento será prorrogado.

A medida também atinge os trabalhadores cadastrados no Sistema Tô Legal para o comércio ou prestação de serviços ambulantes, mesmo ainda não cadastrados no Programa Bolsa Família, mas que atendam às condições de concessão do benefício.

O pagamento de um complemento ao auxílio emergencial federal foi proposto pelo prefeito, candidato à reeleição, em outubro. De acordo com pesquisa Datafolha, 82% dos moradores da capital são a favor do auxílio mensal para pessoas sem renda ou com renda muito baixa.